No dia 18 de junho, comemora-se o Dia Internacional dos Museus. Com isso, a equipe do museu Unicesumar elaborou um material com essa temática. Vamos conferir?

O museu é um espaço onde são guardadas as memórias de um povo, que podem ser encontradas na forma de artefatos, documentos ou imagens. Ainda é comum o preconceito de que o museu é um depositário de coisas velhas e inúteis. Porém, a realidade tem provado o contrário. Quando visitamos um museu, podemos conhecer sobre a história de uma cidade, de um país, de um povo. Além da reflexão sobre a sua cultura, seus hábitos, seu desenvolvimento. Sendo assim, o museu se constitui como um espaço não formal de ensino e aprendizagem.

A prática de preservação de objetos com finalidade cultural remonta à idade antiga. Na Mesopotâmia, por exemplo, já existia a prática de coleção de antiguidades. Ainda por cima, com a técnica da identificação de cada obra. Os gregos e romanos também desenvolveram as suas técnicas e metodologias. Isso se refere à exposição de objetos relacionados a suas memórias ou história. Na Idade Média, essa prática quase desapareceu. No Renascimento, a noção de museu é recuperada. As grandes navegações possibilitaram o contato com coisas totalmente novas e, assim, coleções de curiosidades passaram a chamar a atenção e foram se formando os chamados gabinetes de curiosidades, embriões dos museus como conhecemos. O Brasil foi brindado com um desses gabinetes a partir da coleção formada por Maurício de Nassau, governador da colônia holandesa formada em Pernambuco a partir da invasão dos holandeses entre os anos de 1630-1654.

O Museu Ashmolean é considerado o primeiro museu moderno. Ele foi criado na cidade de Oxford, na Inglaterra, em 1683. No Brasil, o surgimento do museu como instituição científica surgiu em 1818 com a criação do Museu Real, hoje conhecido como Museu Nacional do Rio de Janeiro. Na atualidade, o mais importante pela qualidade do seu acervo é o MASP, Museu de Arte de São Paulo, fundado no ano de 1947.

Em Maringá, existem vários espaços museais voltados para a conservação da história dessa cidade, que apesar da sua história recente, já possui um acervo considerável a esse respeito. Esses espaços são: o Museu da Bacia do Paraná, localizado na UEM, Universidade Estadual de Maringá; o Centro de Documentação Histórica, que fica nas dependências do Teatro Calil Hadad; o Museu da Cocamar, localizado no complexo dessa cooperativa; o Memorial Kimura, que fica na fazenda que pertenceu a família Kimura, pioneiros dessa cidade; e o Museu Unicesumar, localizado no campus do Centro Universitário de Maringá – todos eles abertos à visitação pública.

Conheça o museu Unicesumar

O Museu Unicesumar foi criado com a finalidade de manter viva na memória das pessoas a história do desenvolvimento de Maringá e região. Ele surgiu a partir da ideia do reitor da instituição, Wilson Matos, cuja preocupação é voltada para a formação integral do educando. Ele entende que os valores morais, éticos e culturais compõem a totalidade do ser humano. Reconhecer o seu lugar na história e a sua participação enquanto agente da mesma é papel de cada um. Porém, isso só será possível na medida em que se tem a bagagem necessária para tal. E essa bagagem inclui o conhecimento da sua própria história. Isto lhe possibilita a sua identificação e o sentimento de pertencimento.

A implantação de um museu onde se possa identificar a história dessa região passa a ser o objetivo da direção da Unicesumar. Após compor a equipe que trabalharia no projeto, buscou todas as formas da sua execução. Partindo do projeto inicial, foram erguidas três edificações, sendo elas:

  • A Tulha, uma construção feita com a madeira de demolição de um antigo armazém de café, cuja finalidade é remeter o visitante ao período áureo da cafeicultura da região, que foi a base econômica do início da colonização dessa região.

tulha unicesumar

  • A Casa do Pioneiro é uma residência de madeira construída em 1953 na região conhecida com Maringá Velho. Ela foi transplantada para o campus sede da instituição e serve para demonstrar como era o cotidiano dos pioneiros.
  • No edifício central, o visitante pode encontrar uma acervo imagético, que reconta a história de Maringá por meio de fotografias e vídeos. Além disso, existe um espaço para exposições temporárias. Nesses espaços, são realizadas tradicionalmente duas exposições diferentes por ano, tendo sempre o mesmo foco: a história de Maringá. Complementando, o visitante termina a visita assistindo um breve filme. Esse filme é uma simulação de um voo panorâmico pela cidade com o recurso de imagem em 3D.

Acompanhe algumas imagens do espaço:

Museu Unicesumar
Casa do Pioneiro
Museu Unicesumar
Tulha Cafeeira
Museu Unicesumar
Tulha Cafeeira
Museu Unicesumar
Cinema 3D

Na parte externa dessas edificações, além do cuidadoso paisagismo, existem obras de arte.  Um exemplo é o mural que representa o desenvolvimento de Maringá, desde a chegada dos primeiros pioneiros, e também esculturas representando uma família de camponeses. Essas obras são do artista plástico Antônio Rizzo.

No presente momento, acontece uma exposição de fotografias no espaço destinado à exposições temporárias. Denominada Além do Olhar, ela apresenta o material de quatro fotógrafos distintos em sua forma de ver a cidade. Com isso, o visitante pode perceber que uma cidade pujante, linda, carrega em seu cotidiano questões corriqueiras. À sombra dos majestosos edifícios, existem os vendedores ambulantes, dos carros luxuosos, as carroças puxadas a cavalo, as ruas floridas e arborizadas, os catadores de lixo. O Museu, por meio de sua exposição de fotos, reflete essa realidade.

Essa, inclusive, é a proposta da 15ª Semana Nacional dos Museus. A temporada cultural promovida pelo IBRAM, Instituto Brasileiro de Museus, cujo tema é “Museus e histórias controversas: dizer o invisível em museus”, pretende trazer à tona os discursos apresentados nos museus e refletir sobre eles.

Dia 18 de maio: dia internacional dos museus

Conheça a Unicesumar e a sua estrutura em nosso site.

Carla e Loide
Carla e Loide

 

Texto por: Carla Savaris e Loide Castanho

historia

Comentários

Comentários