Olá. Sou Elaine Guarnieri.

Se você ficou curioso (a) para saber sobre porque eu escolhi desenvolver o outro lado do cérebro, está no caminho certo e é um (a) forte candidato (a) a fazer um curso do Ensino à Distância da Unicesumar.

Minha primeira graduação foi em Comunicação Social – Habilitação em Jornalismo. Sempre adorei comunicação. Adoro escrever, ler. Antes, fiz Magistério. Já deu para perceber que eu adoro muitas áreas, né? A verdade é que adoro, mesmo, aprender.

Já escrevi para jornal impresso, fiz assessoria de imprensa (o assessor de imprensa é um jornalista que faz a ponte entre uma empresa e a imprensa) e atuo em televisão há pouco mais de 25 anos. Já fui repórter, produtora, editora, apresentadora de telejornal. E ainda estou atuando nessa área. E se você acha que deixei o magistério lá atrás, se enganou. Sou professora universitária. Dou aulas para alunos dos cursos de graduação em comunicação há 18 anos. Se você quiser fazer as contas… não precisa. Eu conto para você: tenho 47 anos de idade.

Formada em Jornalismo. Professora. Você deve estar se perguntando: que outra área do cérebro ela quer desenvolver? Qual o curso que a Elaine faz?

Pela descrição acima, é fácil perceber a minha formação toda voltada para a área de humanas (ah… já fiz teatro, também, mas isso daria uma outra história).

Lá atrás, na adolescência, eu sempre gostei de Língua Portuguesa, Geografia, História. Mas sempre fui muito bem em Matemática também. Eu adoro aprender, lembra?

Então… há alguns anos, eu decidi começar uma nova graduação no EAD Unicesumar.

O Jornalismo e a Tecnologia da Informação (a famosa T.I.)

O curso que escolhi fazer é o de Gestão em Tecnologia da Informação (cursei algumas disciplinas, também, de Análise e Desenvolvimento de Sistemas).

Sempre que eu conto isso, a primeira pergunta é: por que você escolheu esse curso? O que é que uma coisa tem a ver com a outra?

Bom, se você, como eu, tem uma mente sempre aberta para o novo, vai perceber, rapidamente, que tem tudo a ver.

Primeiro porque a tecnologia está presente em todas as áreas. Todas. Isso mesmo. Se você atua em alguma área em que acredita que a tecnologia não esteja presente, eu te desafio a procurar um pouquinho, que vai encontrar algo desenvolvido nessa área.

Segundo porque o profissional com habilidades múltiplas e ampla visão de mundo, sempre sai na frente.

Mas o fato é que eu era, sou e sempre serei muito curiosa e queria muito saber como é a tal linguagem de programação. Linguagem. Tá vendo? Tem tudo a ver.

Eu já havia feito um infinito número de perguntas a amigos e até a um dos meus cunhados que atua na área. Mas as respostas não foram capazes de suprir minha curiosidade.

O jeito, então, era buscar mais informação (sou daquelas pessoas que não gostam de ficar sem saber).

E aqui cabe uma observação: desde criança (faz tempo) eu amo Star Wars (Guerra nas Estrelas). Eu já assisti e reassisti aos filmes dezenas de vezes. Me considero uma Jedi? Sim, claro.

Quando eu contava isso a alguém, a primeira coisa que me diziam era: você é nerd. Eu respondia: nerd? Eu sou da comunicação! O que eu não sabia era que, dentro de uma mesma pessoa, poderia morar uma nerd e a comunicação. Ou seja, uma comunicadora nerd. Ficou confuso (a)? Tá, a ideia que estou tentando passar a você é: não existem limitações externas, apenas as que você se impõe.

Das Ciências Humanas para as Ciências Exatas (dois lados diferentes do cérebro)

Se eu queria aprender como funciona a Linguagem de Programação, nada melhor que aprender sobre ela.

Mas, calma. Antes de escolher também tive algumas inseguranças. Fiz contato com a coordenação do curso para entender um pouco melhor sobre como funciona, enchi o pessoal de perguntas (meu ponto forte – que também pode ser muito usado no levantamento de requisitos de um sistema. – Tá vendo como tudo está interligado?). Eu já estava com mais de 40 anos quando comecei.

A ideia era: além de aprender algo que eu tinha muita curiosidade, poder desenvolver o lado das ciências exatas em meu cérebro.

Existem vários cursos que eu poderia ter escolhido (aliás, tenho vontade de fazer vários, deles). Mas pensei: o que eu amo e não conheço muito bem? Tecnologia. Aí foi só conhecer as opções oferecidas pela EAD Unicesumar e começar.

Como já tenho uma graduação pude entrar como portadora de diploma, o que me motivou ainda mais a voltar a estudar.

Por que eu escolhi EAD Unicesumar?

Eu tenho uma somatória de ótimos motivos para ter feito essa escolha.

O ensino à distância me dá mais liberdade em relação a horários. Afinal, além de trabalhar com jornalismo televisivo e dar aulas, ainda coordeno uma pós-graduação em Linguagem Audiovisual e Cinema. Então, eu precisava da possibilidade de estudar do meu jeito, com flexibilidade de tempo.

A metodologia do EAD Unicesumar vem se desenvolvendo e se tornando única a cada ano. Os profissionais que cuidam dos processos têm um olhar muito voltado à qualidade da educação e, ao mesmo tempo, em oferecer cursos usando uma didática que motiva o aluno a estudar sempre. Tem ainda o carinho dos professores, tutores, do pessoal que sempre envia e-mails, mensagens, informando sobre prazos (só perde prazo quem quer perder!)

A plataforma também é muito intuitiva, a prestação do serviço é de um nível de excelência altíssimo.

Isso tudo (que você também pode conhecer) me fez escolher a EAD Unicesumar.

Eu estou na reta final desse curso. Já sei, você quer saber: Elaine, você vai mudar de área? Por hora tudo que sei é que vou seguindo, juntando as duas áreas. Amanhã, quem sabe? Tudo pode mudar.

Estar cursando T.I. me abriu os olhos para um novo mundo, para outras realidades. Por conta disso já participei de eventos de Internacionais de Tecnologia, além de eventos de Start Ups, Hackathons… tudo muito legal.

O que eu diria a você

Eu comecei uma nova graduação depois dos 40 anos. E que presente eu me dei!!! Quanta oportunidade de conhecer pessoas, de aprender.

Não há tempo que volte, como já dizia Lulu Santos, vamos viver o que há pra viver!

Por isso, se você aceita uma sugestão: aprenda! Busque conhecimento. Não importa a área em que você atue.

A idade é uma questão numérica, um pouco biológica, também. Mas uma mente que está aberta ao conhecimento pode te levar a lugares maravilhosos. Às vezes geograficamente, tantas outras, sem precisar sair do lugar onde está.

Eu já estou pensando na minha próxima graduação. E você?

Comentários

Comentários