O termo pode ser novo para você, mas não tem segredo.

Em linhas gerais, a Gerontologia é o estudo do envelhecimento e da velhice em todos os seus aspectos: sociais, psicológicos e biológicos. Por este motivo, é considerado um campo científico inter e multidisciplinar.

Sobre a área profissional, ela mais que preza pela qualidade de vida dos idosos. Com prevenção ou intervenções, quando necessário, ela assegura isso a eles.

Não à toa, Gerontologia é um bom curso, e você vai ter certeza disso mais adiante. A gente arrisca dizer que, depois dessa leitura, você vai olhar pra este curso de outra forma – e, quem sabe, até saia dessa página direto para a de matrículas.

Continue por aqui e entenda os motivos.

Profissional em Gerontologia: o que faz

Parece simplista, de início, porque o profissional dessa área pode atuar basicamente de quatro formas: a primeira delas é com a prevenção. Isto é, pode sugerir intervenções antes mesmo que os problemas mais comuns surjam, o que é ótimo porque resulta em um envelhecimento com qualidade e em condições favoráveis.

Pode também trabalhar com a ambientação, isto é, a criação de condições ambientais para um envelhecimento saudável e com um mínimo de conforto. Neste caso, o foco está voltado para todos espaços onde os idosos vivem ou circulam (a residência, centros de convivência, casas de repouso, etc.).

A reabilitação é outra possibilidade. Quando há perdas, resgatáveis ou não, o profissional é o responsável pela orientação ou criação de condições ambientais individuais para que o sujeito viva bem e, sobretudo, com saúde.

Há ainda os cuidados paliativos e, aqui, as intervenções se estendem aos familiares do idoso. São reservados para aqueles casos em que o indivíduo é acometido por uma doença progressiva ou irreversível, mas ainda assim merece aguardar a morte com dignidade e, na medida do possível, bem-estar.

Em todos os casos, trata-se de atendimento e assistência – ficou claro? 😉

Áreas de atuação

Como falamos, o profissional formado em Gerontologia pode ocupar-se com adaptação ambiental, reabilitação, incentivo à autonomia e independência da terceira idade (com atividades comportamentais e/ou corporais).

Entretanto, quem pensa que o campo de trabalho é restrito está enganado. Na área do ensino, há a possibilidade de atuar com pesquisa, educação comunitária e promoção da saúde.

Quanto à área social, é permitido oferecer apoio psicológico e reinserção, assim como trabalhar na defesa dos direitos e segurança do idoso.

Entenda porque Gerontologia e Geriatria não são a mesma coisa

A gente sabe que, não poucas vezes, as pessoas confundem as áreas, por isso, vamos tentar simplificar isso para você, ok?

Como dissemos anteriormente, a Gerontologia dedica-se ao estudo do envelhecimento humano. Ela considera diferentes perspectivas que visam os idosos, do âmbito da saúde à assistência social.

A Geriatria, em contrapartida, é uma especialidade médica integrada à Gerontologia. Trata-se de alguém formado em Medicina, que se aprofundou no estudo do cuidado de pessoas idosas durante o período de residência.

Por meio de uma abordagem ampla, com avaliação clínica, o Geriatra costuma demorar em consulta. Isto porque trabalha com testes, escalas, aspectos psicossociais e outros – tudo em busca da longevidade, que tem aumentado consideravelmente com o avanço da ciência.

O profissional da Gerontologia, portanto, não precisa ser Geriatra. Inclusive, a busca de outros profissionais (como Psicólogos, Assistentes Sociais, Advogados, Nutricionistas, etc.), por essa área, é grande. Já o Geriatra, necessariamente, estuda conteúdos de Gerontologia – não há escapatória.

É isso: ambas acompanham o envelhecimento de forma global. Uma é mais voltada ao atendimento e assistência, a outra dedica-se ao tratamento de doenças específicas. Tudo isso vai depender (sempre) do quadro em que a pessoa idosa se encontra.  

Dúvida: por que fazer um curso de Gerontologia?

O envelhecimento da população é um fenômeno global. E enquanto a maioria vê isso como um problema – devido os gastos com saúde e aumento de custos com previdência social, por exemplo – você pode encontrar uma oportunidade.

É aquela velha história de fazer de um limão uma limonada, sabe? E se as pessoas têm vivido mais e há pouca mão de obra disponível, óbvio que quem é graduado vai ter mais oportunidades de emprego.

E o melhor é que já existe Gerontologia EAD. Um curso tecnólogo, com metodologia intuitiva, professores compartilhando conhecimentos e experiência de carreira e o aluno no centro, como agente, o protagonista do seu aprendizado.

Depois disso tudo, sabemos que deve estar pensando onde cursar Gerontologia, não é mesmo? Na EAD Unicesumar, em 2 anos, você sai da universidade compreendendo o processo de envelhecimento e pronto para atuar na atenção e cuidado ao idoso. A graduação é rápida e te capacita para garantir uma velhice ativa e saudável ao público da terceira idade. E aí, acha que curtiria fazer este curso? Clique aqui e conheça a sua matriz curricular.

Comentários

Comentários