Em pleno século 21, a automação e a digitalização se tornaram presentes em diversas áreas do nosso dia a dia, principalmente no ambiente empresarial. As áreas da tecnologia ajudam instituições a diminuírem custos, a otimizarem os seus processos e a gerenciarem um fluxo de trabalho movido a dados. Nesse contexto, a presença dos profissionais de Tecnologia e Inovação (TI) é indispensável.

Uma das funções de quem atua com TI é elaborar estratégias e projetos para que os procedimentos funcionem em alta performance. Dessa maneira, torna-se possível integrar ferramentas tecnológicas com eficiência a fim de garantir competitividade e produtividade. Por isso, a área de TI é uma das mais atrativas do mercado, pois gera uma grande demanda de profissionais com frequência.

Está a fim de se qualificar nesse segmento profissional? Então conheça as áreas de tecnologia que estão em alta atualmente.

1. Programação

O desenvolvedor (ou programador) atua na elaboração de softwares utilizados na gestão de empresas, sites de vendas, redes sociais ou qualquer outro sistema que gerencie tarefas e demandas do cotidiano.

Nessa área, é necessário adquirir conhecimento em linguagens de programação, como Python, PHP, Java, Java Script, C# e C/C++, a depender da área na qual você deseja se qualificar. Essa função é bastante popular no universo da TI por ser indispensável para o sucesso das empresas.

2. Segurança da informação

O profissional da segurança da informação desenvolve formas de proteger empresas de ataques cibernéticos, vazamentos e fraudes. Ele também controla o acesso aos dados das companhias, garantindo que apenas usuários autorizados acessem informações confidenciais.

Por isso, órgãos governamentais, instituições bancárias, fintechs e grandes marcas contam com equipes que exercem esse tipo de serviço. E quanto mais dados surgem nas redes, mais necessária e abundante se torna a demanda por esses profissionais no mercado de trabalho.

3. Cloud Computing

Conhecimento aprofundado em cloud computing permite atuar nos mais diversos setores da empresa voltados à tecnologia. Como a maior parte dos serviços atualmente são virtuais e online, existe uma rotação natural nos mais diversos cargos e funções de uma empresa.

Isso é algo que permite aos profissionais adquirirem conhecimentos e desenvolver habilidades. Então, para iniciar essa carreira, basta investir em cursos especializados em computação na nuvem e acompanhar tendências do segmento.

4. Administração de Banco de Dados (DBA)

Com a consagração da tecnologia e o fluxo de dados gerados diariamente, se faz indispensável a presença de áreas de TI para administrar e gerenciar dados organizacionais. Nesse sentido, o administrador de bancos de dados deve manter uma base de registros otimizada para fazer análises precisas.

Além disso, ele controla, instala e monitora as informações corporativas para garantir que sejam executadas com eficiência. É necessário ter domínio sobre linguagens específicas de banco de dados, como a Structured Query Language (SQL), assim como conhecimentos em Ciência da Computação, Sistemas da Informação e Tecnologia em Rede de Computadores EAD.

5. Business Intelligence (PowerBI) 

Toda companhia precisa lidar com decisões estratégicas diariamente e o profissional de Power BI pode contribuir da forma mais eficiente possível. Afinal, a inteligência de negócios (Business Intelligence) corresponde a uma análise de dados voltada para otimizações.

É estudar informações, interpretá-las e sugerir as melhores ações. Essas referências podem ser tanto as da empresa, quanto as da concorrência – prática chamada de Benchmark.

Hoje, existe uma infinidade de ferramentas tecnológicas para o levantamento de dados, números e históricos — e muitas utilizam a Inteligência Artificial (IA) integrada para dar mais precisão à tarefa. Isso mostra que dominar o uso de ferramentas e softwares é tão necessário quanto lidar com as informações em si. Logo, este profissional deve estar constantemente atualizado em relação às inovações tecnológicas do mercado.

6. Programação mobile

A programação mobile atua com projetos, criações e desenvolvimento de aplicativos para aparelhos móveis. Os apps que um programador pode desenvolver são variados e as possibilidades são infinitas. Para isso, é necessário investir em conhecimentos apurados em hardware, usabilidade e linguagens de programação.

Além disso, o segmento é bastante aquecido e, por isso, existe a possibilidade de abrir o próprio negócio de maneira independente ou com colegas de profissão. Também existem oportunidades para trabalhar de forma autônoma prestando serviços para empresas que precisam de profissionais qualificados para programar determinadas funcionalidades de aplicações mobile.

7. Administração de redes

Hoje, estar conectado à internet é tão indispensável quanto a própria conexão local das empresas. E ambas as tarefas são exercidas pelo administrador de redes, uma pessoa que, além de assumir esse controle, também deve monitorar os recursos computacionais ligados à rede.

Essa é uma área da tecnologia que exige conhecimento técnico bastante apurado, pois será preciso identificar cabeamentos, conhecer equipamentos e dominar sistemas com extrema facilidade — afinal, a conexão deve manter-se sempre estável para garantir o funcionamento adequado das atividades empresariais. Normalmente, quem atua com redes tem experiência tecnológica apurada para lidar com diversas ocorrências.

Para exercer a profissão, é necessário adquirir certificações Microsoft, como MCSA, MCSE, MCP, além da Cisco-CCNA. Elas são obrigatórias ao administrador de redes, pois ele terá de realizar diversas atividades de forma simultânea.

As principais funções estão relacionadas à instalação, manutenção e ampliação da rede local. Isso envolve atividades como a orientação aos demais administradores e usuários, monitoramento de performance, prática de segurança de dados, entre outras.

8. Web Design

O profissional Web Design é capacitado para desenvolver projetos de sites (blogs, institucionais, lojas virtuais, portais etc.), além de realizar serviços relacionados ao design de interfaces. Ele também atua com a idealização e elaboração de layouts, implementando otimizações práticas de design e usabilidade, conforme as solicitações do cliente.

Ou seja, seu objetivo é tornar as páginas de acesso mais funcionais e atraentes aos usuários. Igual ao site em que você está lendo este conteúdo. O web designer aplica seus conhecimentos teóricos e práticos em três campos principais:

  • interface: define a aparência, a abordagem e a navegação de um site;
  • experiência: projeta a interação do usuário com a página, focando em características como dinamismo, instantaneidade e objetividade;
  • informação: gerencia e apresenta as informações de páginas web com clareza e eficiência.

Como visto, existe uma série de áreas de tecnologia para se especializar e seguir carreira. Nesse sentido, a recomendação é buscar qualificações constantemente a fim de aumentar o seu portfólio de atuação para um universo de demandas tecnológicas que está prestes a surgir no mercado.

Portanto, não deixe de investir em cursos de tecnologia para aumentar suas chances de antecipar tais demandas e idealizar novas soluções para empresas e pessoas. Quer ficar por dentro das dicas e novidades da EAD UniCesumar? Então siga a nossa página no Facebook

Comentários

Comentários