Já ouviu falar sobre Engenharia de Produção, mas ainda tem dúvidas sobre a área? Saiba que você está no lugar certo para saber tudo sobre o curso e o mercado de trabalho.

Neste conteúdo, vamos mostrar:

Ansioso para saber tudo sobre a Engenharia de Produção? Então vamos lá!

cta 1 - Engenharia de Produção

Afinal, o que é Engenharia de Produção?

A Engenharia de Produção, basicamente, é o ramo que lida com a otimização de processos e sistemas mais complexos.

Isso significa que, por meio dessa engenharia, os profissionais buscam formas para aumentar a produtividade e diminuir gastos excessivos e desnecessários nas organizações.

Por conta disso, o engenheiro de produção é uma das peças fundamentais nas empresas, principalmente para aquelas que buscam otimizar os resultados.

Agora que você já sabe do que se trata essa engenharia, podemos mostrar o que faz o engenheiro de produção quando formado.

https://www.youtube.com/watch?v=vX66M22EUOg

O que faz o engenheiro de produção?

Um engenheiro de produção pode trabalhar em diversas áreas que englobam as técnicas e habilidades que foram ensinadas na faculdade. As principais delas são:

  • Desenvolver, analisar e definir a estrutura da empresa;
  • Gerir a vida financeira da empresa, lidando com os principais gastos e aplicação de recursos;
  • Administrar a mão de obra na engenharia do trabalho, avaliando os custos, prazos e instalações para possibilitar que os serviços sejam realizados;
  • Planejar e implantar novos processos de produção, desde a seleção dos materiais até a chegada dos produtos ao consumidor final;
  • Gerir as operações logísticas, como a armazenagem, a distribuição e estocagem;
  • Antecipar os problemas com a simulação de processos.

Então, isso significa que um engenheiro de produção, após formado, pode exercer diversas funções com propósitos totalmente diferentes.

Engenharia de Produção - o que faz

Como é o mercado de trabalho para quem trabalha com Engenharia de Produção?

O engenheiro de produção tem conhecimento em todas as áreas que envolvem a produção, portanto, é um profissional que possui um vasto campo de trabalho pela frente.

Engana-se quem acha que os engenheiros de produção trabalham apenas em indústria. Na verdade, esses profissionais também são procurados por lojas de varejo, agências de turismo, empresas de tecnologia, telecomunicações, saúde e instituições financeiras.

De acordo com a Associação Brasileira de Engenharia de Produção (ABEPRO), existem dez áreas que o profissional pode atuar. Dá uma olhada:

  • Engenharia de Operações e Processos da Produção;
  • Logística;
  • Pesquisa Operacional;
  • Engenharia da Qualidade;
  • Engenharia do Produto;
  • Engenharia Organizacional;
  • Engenharia Econômica;
  • Engenharia do Trabalho;
  • Engenharia da Sustentabilidade;
  • Educação em Engenharia de Produção.

Mas não é só isso! Cada uma dessas áreas tem, em média, cinco subáreas ou mais. Você pode optar por se especializar em um desses campos e mergulhar em suas ramificações. Ou, se preferir, pode focar em uma dessas subdivisões e se tornar um expert reconhecido pelo mercado.

Percebe como o mercado de trabalho da Engenharia de Produção é bem extenso? Existem 56 nichos em que você pode atuar!

Ou seja, opção é o que não falta para quem escolhe seguir carreira nessa área tão necessitada de profissionais. É por conta disso que é difícil encontrar esses engenheiros desempregados por falta de oportunidades.

Ficar de olho nas tendências e no futuro da profissão é o segredo para não perder oportunidades no mercado de trabalho. Continue lendo para descobrir o que o futuro está preparando para o engenheiro de produção!

cta3 - Engenharia de Produção

Quais as tendências e previsões para a Engenharia de Produção?

Como você deve imaginar, a tecnologia está presente nas tendências e previsões para o ramo. E não tem como ela ficar de fora! Afinal, as inovações facilitam a nossa vida pessoal e profissional cada vez mais.

Algumas novidades já estão gerando resultados positivos em diversos outros ramos, como o Big Data na medicina e no marketing e a Internet das Coisas (IoT). Essas inovações vão ganhar força e fazer parte do cotidiano da profissão.

Acha que o futuro só envolve tecnologia e produção de bens materiais? O trabalho do engenheiro vai ser ainda mais requisitado no setor de serviços!

Ficou curioso? Dá uma olhada nas tendências e previsões para a área:

Big Data

A tomada de decisão baseada na análise de dados é uma das atividades que estão no centro da Engenharia de Produção. Com o Big Data, o profissional consegue potencializar o seu trabalho.

Você provavelmente já ouviu esse termo. Ele está cada vez mais frequente nas organizações, nas notícias sobre o mundo dos negócios e já faz parte da grade curricular de diversos cursos de nível superior.

Se você não sabe muito bem o que significa, fique tranquilo!

Big Data refere-se ao grande volume de dados — estruturados e não estruturados — que afetam o cotidiano de empresas. São gerados pela internet e, após análise, são transformados em informações que melhoram a tomada de decisão em negócios de todos os portes.

Na Engenharia de Produção, o Big Data já está presente. Há empresas que utilizam os dados para prever quando os equipamentos podem parar de funcionar. Outras conseguem diminuir o tempo usado para rever os preços de todas as lojas.

Existem diversos casos de sucesso com a aplicação do Big Data nesse ramo!

A tendência é usá-lo cada vez mais para otimizar processos, diminuir custos e evitar prejuízos. A tomada de decisão melhora, a empresa pode agir mais rapidamente ao detectar algum problema ou oportunidade, a inovação é estimulada e a organização aumenta sua vantagem competitiva no mercado.

A análise dos dados gerados via internet vai conquistar um espaço ainda maior no cotidiano do profissional. Engenheiros de produção que investirem em cursos e especializações sobre o assunto certamente vão encontrar ótimas oportunidades de trabalho.

Internet das Coisas (IoT)

Mais um termo que você já deve ter ouvido por aí e que vem ganhando destaque nos jornais e nas empresas. Provavelmente você já tem um dispositivo IoT em casa, como uma Smart TV.

O objetivo da Internet das Coisas (Internet of Things, em inglês) é unir o mundo real com o virtual. Para isso, os mais diversos objetos que usamos no dia a dia são conectados à internet.

Carros, chaves, dispositivos wearables, luminárias e muitos outros equipamentos e objetos se tornam inteligentes. Eles realizam ações, coletam e transmitem dados.

Para a Engenharia de Produção, essa tecnologia traz inúmeros benefícios e pode revolucionar o modo como produtos são produzidos. A IoT faz parte da quarta revolução industrial (Indústria 4.0) e apresenta uma grande capacidade, segundo a Accenture:

“A ‘Internet das Coisas Industrial’ tem potencial de contribuir com US$ 14,2 trilhões para a produção mundial até 2030.”

Afinal, não se trata apenas de deixar máquinas e equipamentos inteligentes, mas de interligá-los.

A conexão entre todas as ferramentas de um parque industrial, por exemplo, possibilita a detecção antecipada de problemas ou quedas de produtividade.

Em outras palavras, a Internet das Coisas vai permitir que toda a operação seja monitorada e otimizada com facilidade!

Setor de serviços

Quando pensamos em produção, geralmente imaginamos um bem material, concorda?

No entanto, o campo de atuação do engenheiro não está restrito à produção de mercadorias. O setor de serviços também é uma área que busca engenheiros de produção. Afinal, o serviço é visto como um produto pelas empresas.

Mas quais ramos estão alta e buscam por esses profissionais?

Os setores de meio ambiente, contabilidade, saúde e segurança!

Por meio da gestão, planejamento e implementação de políticas e ações específicas nessas áreas, o profissional visa aprimorar a realização da atividade, reduzir custos e evitar perdas financeiras.

Além disso, as atividades do engenheiro nesses ramos vão ser cada vez mais usadas para dar suporte às ações de marketing e contribuir para melhorar a reputação da empresa.

Engenharia de Produção - serviços

3 curiosidades sobre a Engenharia de Produção

Se você está pensando em seguir carreira nessa área, vale a pena ficar por dentro das curiosidades do ramo e chegar mais preparado no curso.

1. A Engenharia de Produção é centenária

Lembra das aulas de história, em que o professor explicava como as mercadorias eram produzidas antes da Revolução Industrial? Era o artesão quem executava todas as etapas de fabricação do produto.

Segundo o Projeto Memória realizado pela Associação Brasileira dos Engenheiros de Produção (ABEPRO), a origem mais remota da profissão aconteceu quando o artesão começou a se preocupar, também, em organizar, integrar, mecanizar, mensurar e aprimorar a produção das mercadorias.

Mas foi na Revolução Industrial, com a introdução da máquina-ferramenta e a necessidade de produzir mais, que a Engenharia de Produção ganhou força.

Um dos marcos desse período é a obra “Princípios da Administração Científica” do engenheiro mecânico Frederick Taylor. Nesse livro, que foi publicado em 1911, Taylor propôs o uso de métodos científicos cartesianos na gestão das empresas para ter mais eficiência e qualidade na produção.

Já no Brasil, a data de nascimento desse ramo é abril de 1955, com a criação do primeiro curso de Engenharia de Produção, pelo professor Ruy Aguiar da Silva Leme.

2. Formação que une as áreas de Exatas e Humanas

Uma outra curiosidade é que a Engenharia de Produção não se resume ao estudo de disciplinas relacionadas às Ciências Exatas. Durante o curso, o aluno também adquire conhecimentos em Administração, Gestão e Economia. Com isso, ele é capaz de avaliar um processo de produção como um todo. Por exemplo, enquanto um engenheiro mecânico foca somente nas máquinas de uma linha de montagem, o engenheiro de produção avalia como os colaboradores trabalham, quanto tempo cada etapa demora, como o layout da fábrica ajuda ou atrapalha a produção, quais são os custos do processo e outros fatores.

Essa visão mais ampla permite que o engenheiro de produção identifique pontos de melhorias e de redução de custos, em diferentes fases da montagem do produto.

3. Carreira em alta, mesmo na crise

Em épocas de crise, a demanda por esse profissional costuma aumentar ligeiramente. Isso acontece porque o engenheiro de produção é capaz de otimizar processos e reduzir custos. Em outras palavras, ele ajuda a empresa a produzir mais gastando menos tempo e dinheiro.

cta4 - Engenharia de Produção

Existem engenheiros de produção famosos?

Sim! Alguns engenheiros de produção fizeram nome no Brasil e no mundo. Veja quem são eles:

Tim Cook

Você deve conhecer esse nome! O Tim Cook é o atual CEO da Apple. Ele é formado em Engenharia de Produção e já passou pela Compaq e pelo Conselho de Administração da Nike.

Luiz Fernando Edmond

Esse engenheiro de produção brasileiro ocupou a presidência da Ambev entre 2004 e 2008. Também foi CEO da terceira maior produtora de cerveja do mundo, a Anheuser-Busch, entre 2009 e 2014.

Roger Ingold

Roger Ingold é um engenheiro de produção brasileiro que foi de estagiário a presidente das operações da Accenture Brasil — foram 34 anos na empresa. Atualmente, ele é membro do conselho da Linx S.A, uma empresa especialista em tecnologia para o varejo.

Pedro Luiz Barreiros Passos

O cofundador da gigante de cosméticos Natura também é formado em Engenharia de Produção. Pedro é um dos responsáveis pelas iniciativas de sustentabilidade e de capitalismo consciente que a Natura realiza no Brasil.

Quanto ganha, em média, um engenheiro de produção?

O número de vagas para profissionais de Engenharia de Produção só cresce no Brasil, e isso deve-se pela falta de profissionais qualificados.

Isso ajuda os engenheiros de produção formados, pois os salários pagos pelas empresas são maiores, tendo em vista as dificuldades que enfrentam para encontrar esses profissionais.

Não podemos dizer o valor exato que recebe um engenheiro de produção, até porque os salários variam muito, conforme for a experiência e segmento que o profissional está inserido. Mas o salário inicial desse engenheiro para a carga horária de 6 (seis) horas diárias está em torno seis salários mínimos, conforme o Crea-SP.

É importante informar também que engenheiros de produção que atuam na gestão de projetos na área de petróleo e gás chegam a receber de 25 a 30 mil reais mensais.

Gostou da base salarial? Então, procure pela melhor faculdade e inicie agora mesmo os estudos!

Engenharia de Produção - grade curricular

Como funciona a grade curricular do curso?

A grade curricular varia muito de instituição para instituição, isso é fato.

Mas, para facilitar a sua escolha, separamos as principais cadeiras da grade curricular do curso de Engenharia de Produção:

  • Conceitos da administração e ética empresarial;
  • Comunicação empresarial e negociação;
  • Engenharia econômica;
  • Cálculo diferencial e integral;
  • Desenho técnico;
  • Física;
  • Engenharia do produto;
  • Contabilidade empresarial;
  • Gestão de projetos;
  • Estatística e probabilidade;
  • Mapeamento de processos;
  • Automação industrial;
  • Ciências do ambiente;
  • Manutenção industrial.

Vale lembrar que apresentamos apenas as principais delas, tendo em vista que o curso dura cerca de 60 meses, ou melhor, 5 anos.

Quais são os livros fundamentais para entender o curso de Engenharia de Produção?

A seguir, mostraremos algumas obras que vão ajudar você a entender melhor o curso e os campos de atuação do engenheiro de produção.

Gestão da Cadeia de Suprimentos – Estratégia, Planejamento e Operações, de Sunil Chopra e Peter Meindl. A obra de Sunil Chopra e Peter Meindl fornece uma ótima base para entender todo o funcionamento de uma cadeia de suprimentos. Você aprende a:

  • construir um referencial estratégico para analisar cadeias de suprimentos;
  • planejar a rede de cadeia de suprimentos;
  • coordenar suprimento e demanda em uma cadeia de suprimentos;
  • gerir estoques em uma cadeia de suprimentos;
  • projetar redes de transportes;
  • administrar fatores-chave interfuncionais.

Administração de Produção e Operações, de Lee Krajewski, Larry Ritzman e Manoj Malhotra

Com esse livro, publicado pela editora Pearson Prentice Hall, você fica por dentro do mundo das atividades operacionais. A obra mostra como:

  • usar as operações da empresa como arma competitiva;
  • desenvolver estratégias operacionais;
  • administrar, analisar e garantir a qualidade de projetos e processos;
  • elaborar estratégias de cadeia de suprimentos;
  • administrar estoques;
  • planejar vendas e operações.

Gestão Ágil de Projetos, de Cristiano Foggetti

Organizado por Cristiano Foggetti, este livro mergulha nos conceitos e metodologias da gestão ágil, como:

  • o aparecimento do método ágil;
  • os fundamentos das abordagens ágeis;
  • Agile Project Management (APM);
  • os modelos de métodos ágeis, como Scrum e FDD;
  • as principais ferramentas usadas nos métodos ágeis.

Indústria 4.0 – Conceitos e Fundamentos, de José Benedito Sacomano, Rodrigo Franco Gonçalves, Sílvia Helena Bonilla, Márcia Terra da Silva e Walter Cardoso Sátyro

Nessa obra, publicada pela editora Blucher, você mergulha na indústria 4.0. A 4ª Revolução Industrial vai se tornar realidade nos próximos 20 anos.

Portanto, é importante se preparar desde o primeiro ano da faculdade para ser um bom engenheiro de produção do futuro. No livro, você aprende sobre:

  • as quatro revoluções industriais que aconteceram ao longo da história da humanidade;
  • conceitos, elementos base e estruturantes da indústria 4.0;
  • sistemas ciberfísicos, Internet das Coisas (IoT) e Internet de Serviços (IOS);
  • automação e comunicação máquina a máquina;
  • inteligência artificial, big data, computação em nuvem, integração de sistemas e segurança cibernética;
  • mercado consumidor, mão de obra e sustentabilidade;
  • gestão de manutenção e ativos;
  • formação e capacitação de engenheiros;
  • desafios da indústria brasileira rumo à 4ª Revolução Industrial.

Engenharia de Produção - estudar

Por que estudar Engenharia de Produção?

Não faltam motivos para escolher esse ramo da Engenharia!

1. Ampla área de atuação

Como vimos neste post, existem 10 grandes campos e 56 nichos no total. Você certamente encontra um ramo interessante para seguir carreira!

2. Possibilidade de empreender.

Como engenheiro de produção, você tem conhecimentos necessários fazer um negócio próprio crescer no mercado. É possível prestar consultoria de Engenharia, montar um empreendimento em outro ramo ou gerenciar uma empresa familiar, por exemplo.

3. Demanda em diferentes áreas

Segundo o Guia Salarial 2019 da Robert Half, uma consultoria especializada em contratação de profissionais por projetos, a demanda por engenheiros de produção está em alta para ocupar vagas em Cadeia de Suprimentos, Planejamento, Compras, Operações, Vendas e Customer Service continua em alta.

Em qual centro universitário cursar Engenharia de Produção?

Muitas faculdades oferecem o curso de Engenharia de Produção, tanto presencial como a distância. Por conta disso, você precisa ter muita atenção.

Muitas universidades prometem professores capacitados e um ensino de primeira linha, quando, na verdade, não cumprem o mínimo do prometido.

Então, o ideal é escolher uma faculdade que seja autorizada e com uma boa nota de avaliação pelo MEC.

Além de verificar o reconhecimento do Ministério, fique de olho na metodologia de ensino. Engenharia de Produção é um curso muito ligado à tecnologia e requer bastante prática.

Portanto, procure por uma instituição de ensino que também prioriza o caráter tecnológico do curso. Dessa forma, você garante uma formação atualizada e não tem surpresas ao chegar ao mercado de trabalho. Acredite: colocar em prática o que você aprende nas aulas vai fazer a diferença na sua vida acadêmica e profissional.

Imagine ir em busca de emprego e descobrir, durante os processos seletivos, que o que você aprendeu já está desatualizado. É uma experiência desagradável, concorda?

Logo, busque uma universidade que tenha polos com laboratórios físicos e tutores facilitadores. Atente-se também aos encontros presenciais. Eles devem ser sempre dinâmicos e permitir que você desenvolva as competências para analisar, implantar, operacionalizar e gerenciar processos.

Quer conhecer uma faculdade que oferece uma formação com metodologias inovadoras, voltadas para o futuro da profissão?

Então conheça a metodologia híbrida de Engenharia de Produção da Unicesumar!

cta2 - Engenharia de Produção

Comentários

Comentários