Unicesumar
Unicesumar

Diretoria de Pesquisa

RECOMENDE:

Grupo de Pesquisa

Grupo de Pesquisa é definido como um conjunto de indivíduos composto de pesquisadores, técnicos e estudantes que estão organizados hierarquicamente em torno de uma liderança, envolvida profissional e permanentemente com atividades de pesquisa, cujo trabalho se organiza em linhas comuns de pesquisa.

Nome do Grupo Nome do Líder Linhas de Pesquisa
Vulnerabilidade: bioética e promoção da saúde Andréa Grano Marques

1.     Saúde da mulher e corporeidade

2.     Promoção da saúde em contexto de violência

3.     Promoção da Saúde e envelhecimento ativo

Grupo de estudos em Educação Física, Fisioterapia, Esporte, Nutrição e Desempenho Braulio Henrique Magnani Branco

1.     Prevenção, tratamento e nutrição para o combate das doenças crônicas não transmissíveis.

2.     Aspectos biológicos do desempenho físico e esportivo.

3.     Formação profissional em Educação Física e Esporte.

Pesquisa em Odontologia Fausto Rodrigo Victorino

1.     Anestesiologia Aplicada à Odontologia

2.     Propriedades físicas e biológicas de materiais odontológicos

Centro de estudos e pesquisas epidemiológicas em saúde (CEPES) Fernanda Shizue Nishida

1.     Avaliação em Saúde

2.     Aspectos Nutricionais em Saúde

3.     Promoção da Saúde Individual e Coletiva

Anatomia e embriologia aplicadas à pesquisa e educação médica Heber Amilcar Martins

1.     Anatomia e embriologia aplicadas à identificação humana;

2.     Dissecação e técnicas para o ensino e a pesquisa em anatomia;

3.     Morfologia aplicada à antropologia humana;

Avanços em Produção Animal José Maurício Gonçalves dos Santos

1.     Sistemas de Produção

2.     Produção de Suínos

3.     Saúde Animal

4.     Nutrição de Não-Ruminantes

5.     Aproveitamento de Subprodutos

Psicologia, Esporte e Saúde - PES Leonardo Pestillo de Oliveira

1.     Esporte e Saúde nos diferentes contextos e grupos

2.     Tecnologia e Promoção da Saúde

3.     Avaliação e promoção de saúde mental

Análise Citogenética e Molecular da Biodiversidade Marcela Funaki Dos Reis

1.     Análise Molecular Do Gene Brca1 No Câncer De Mama Em Canis familiaris

2.     Estudos experimentais, clínicos e epidemiológicos dos fatores genéticos que afetam as populações

3.     Estudo descritivo da etiologia e meios diagnósticos das deficiências cognitivas e/ou físicas de alunos da APAE de Maringá/PR

4.     Identificação molecular de fungos

Promoção da Saúde da Mulher Marcelo Picinin Bernuci

1.     Tecnologias & Saúde da Mulher

 

Atenção e promoção à saúde humana Marcia Regina Benedeti

1.     Doenças Neurológicas

2.     Sexualidade, Saúde e Qualidade de Vida da Mulher Idosa e Climatérica

3.     Saúde da Mulher

4.     Envelhecimento - Promoção da Saúde: Família e Cuidado

Promoção da Saúde, Envelhecimento e Tecnologia em Saúde Mirian Ueda Yamaguchi

1.     Promoção da Saúde no contexto teórico

2.     Promoção da Saúde e Envelhecimento

3.     Tecnologia para Promoção da Saúde

Integralidade Em Saúde- GPIS Raquel Gusmão Oliveira

1.     Teorias e Praticas Integradas

2.     Integralidade nos Serviços de Saúde

Estudos Interdisciplinares em Saúde Mental Rodrigo Moreira Caetano Pinto

1.     Manejo multiprofissional em transtornos mentais

2.     Psicologia Escolar e Educacional para o desenvolvimento humano, ensino e aprendizagem

Avaliação e Monitoramento Nutricional de Comunidades Rose Mari Bennemann

1.     Avaliação e monitoramento nutricional de comunidades

2.     Avaliação cognitiva e do risco cardiovascular

Saúde Mental e Contextos Socioambientais de Desenvolvimento no Ciclo da Vida Rute Grossi Milani

1.     Saúde Mental no contexto da promoção à saúde

2.     Fatores de risco e de proteção ao desenvolvimento no ciclo da vida

3.     Ambientes Promotores de Saúde Mental: Sustentabilidade Ambiental e Qualidade de Vida

4.     Saúde mental no desenvolvimento humano e comportamento pró-ambiental

Saúde infantil Siméia Gaspar Palácio

1.     Disfunções cinético-funcionais relacionadas as causas neurológicas

2.     Avaliação, Intervenção e Acompanhamento do Desenvolvimento Neuropsicomotor de Lactentes/Crianças Brasileiras

Efeitos biológicos de produtos naturais e produtos naturais altamente diluídos. Simone Martins de Oliveira

1.     Ação de produtos naturais

2.     Ação de produtos naturais altamente diluídos

Atividade física e envelhecimento Sonia Maria Marques Gomes Bertolini

1.     Promoção da saúde no envelhecimento

 

Genética Animal Stefania Caroline Claudino da Silva

1.     Alterações genéticas e metabólicas em tilápias do Nilo desafiadas com micotoxina fumonisina

2.     Genética de cães

Produção animal Stefania Caroline Claudino da Silva

1.     Piscicultura

2.     Avicultura

Grupo de estudos em coloproctologia Valdomiro Garbugio Filho

1.     Prevenção Do Câncer Colorretal

2.     Doença de Crohn e AIDS

3.     Emprego da célula tronco no tratamento de fístulas ano-retais, especialmente ligadas a doença inflamatória intestinal

Nome do Grupo Nome do Líder Linhas de Pesquisa
Ecoeficiência Urbana Edneia Aparecida de Souza Paccola 1.  Ecoeficiência Urbana
Análises Química, Físico-Química e Biológica de Substâncias Líquidas ou Sólidas de Produtos Naturais, Sintéticos ou Biotransformados José Eduardo Gonçalves 1.Análise Química e Microbiológica de Própolis
2.Educação e Tecnologias na Promoção da Saúde
3.Biotecnologia
4.Análise Química de produtos convencional e transgênica
5.Análise Química de Drogas Veterinárias
6.Agroindustria, Agropecuária e Meio Ambiente
7.Ecoefíciencia Urbano e Recursos hídricos
8.Análise Química de Leite Materno
Sustentabilidade na Construção Civil Judson Ricardo Ribeiro da Silva 1.Materiais e Componentes de Construção
2.Agregados reciclados provenientes de resíduos de construção civil, e adições provenientes de resíduos industriais.
3.Desenvolvimento e Aplicações de Novos Materiais
Ecologia Agroindustrial Márcia Aparecida Andreazzi 1.Agroindústria e Pecuária Sustentável
Tratamento, purificação e monitoramento de águas de abastecimento Natália Ueda Yamaguchi 1.Monitoramento da qualidade de águas para consumo humano
2.Processos de purificação de água para consumo humano
3.Processos avançados e tecnologias verdes para a purificação e o tratamento de água
Ciência, Tecnologia e Sociabilidade Regiane da Silva Macuch 1.Estudos sobre Interação Humano-Computador
2.e-Health e m-Health para a Promoção da Saúde
3.Redes Sociais, Sociabilidade e Inovação
4.Educação e Promoção da Saúde
5.Educação e Gestão do Conhecimento
Controle de Qualidade e Segurança Alimentar Ricardo Andreola 2.  Segurança Alimentar, Produto e Consumo
3.Segurança Alimentar e Espaços Produtivos
Monitoramento e Preservação Ambiental Ricardo Andreola 1.Tratamento de efluentes
2.Qualidade do Ar, das Águas e do Solo
3.Controle de qualidade de água
Nome do Grupo Nome do Líder Linhas de Pesquisa
Grupos vulneráveis e novos direitos: garantias e formas de efetivação dos direitos da personalidade Andryelle Vanessa Camilo Pomin

1. Grupos vulneráveis e novos direitos

2. Grupos vulneráveis: garantias e formas de efetivação dos seus direitos

3. Novos Direitos

Direito, Bioética e Saúde Carlos Alexandre Moraes

1. Direitos da personalidade e a bioética

2. Instituições de Justiça e História do Direito

3. Responsabilidade civil

Proteção integral da pessoa: interações dos direitos humanos, dos direitos fundamentais e dos direitos da personalidade Cleber Sanfelici Otero 1. A importância da funcionalidade adequada do sistema jurídico para a efetividade dos direitos da personalidade
Instrumentos jurisdicionais de efetividade dos direitos da personalidade Daniela Menengoti Gonçalves Ribeiro 1. A proteção internacional da pessoa e a efetivação dos direitos da personalidade
Internacionalização do direito: dilemas constitucionais e internacionais contemporâneos Daniela Menengoti Gonçalves Ribeiro

1. Globalização

2. Direito Comparado

3. Direito Internacional

4. Direitos Humanos

5. Justiça

Estudos Literários Diego Luiz Miller Fascina

1. Crítica e teoria literária

2. Cultura, Literatura e Tradução

3. Estudos culturais e identidades contemporâneas

4. Literatura contemporânea

5. Literatura e formação do leitor

6. Literatura e história

7. Literatura e materialismo Lacaniano de Slavoj Zizek

8. Literatura e outras linguagens

9. Literatura em Língua Inglesa

10. Literatura Portuguesa e países lusófonos;

Conhecimento e Inovação Hilka Pelizza Vier Machado

1. Conhecimento, inovação, gênero e diversidade

2. Conhecimento e Inovação em pequenas empresas e em empresas de base tecnológica

3. Relações Universidade-Empresa-Sociedade

Políticas Públicas e Instrumentos Sociais de efetivação dos Direitos da Personalidade Ivan Dias da Motta 1. Direito, políticas públicas e direitos da personalidade
Grupo de pesquisa e estudos em Tecnologia e Inovação nos Negócios Johny Henrique Magalhães Casado

1. Gestão de custos nas organizações

2. Inovação em processos dentro de pequenas e médias empresas

3. Investimento em ações: um olhar sobre bolsa de valores no Brasil

Educação e Conhecimento Leticia Fleig Dal Forno 1. Conhecimento, Educação, Tecnologia e Interculturalidade
Direito, Estado e Bioética Luiz Geraldo do Carmo Gomes

1. Aspectos Controvertidos da Bioética no Direito Penal e Processual Penal

2. Bioética e Direitos Humanos

3. Bioética, Comportamento Humano e Direito Constitucional

4. Direito, Estado e Bioética no Direito Processual Civil

5. Estado e Bioética: a intervenção estatal na garantia de Direitos.

Organizações e Conhecimento Rejane Sartori

1. Relações Universidade-Empresa-Sociedade

2. Conhecimento e Inovação

Grupo de Estudos Multidisciplinares em Teologia, Religião e Religiosidade Roney de Carvalho Luiz

1. Pesquisa Histórica e Bíblica

2. Liderança, Comunicação e Práxis Ministerial

3. Diaconia e Responsabilidade Social

4. Educação Teológica

Núcleo de Estudos em Métodos Quantitativos Aplicados em Economia, Finanças e Gestão - NEMAE Silvio Silvestre Barczsz 1. Economia, Gestão e Finanças
GEEB - Gestão e Excelência na Educação Básica Tania Regina Corredato Periotto

1. Gestão Escolar e Conhecimento

 

Observatório de Direito Eletrônico Thomaz Jefferson Carvalho

1. Impactos midiáticos e o processo

2. Direitos da personalidade e as novas tecnologias

Reconhecimento e Garantia dos Direitos da Personalidade Valéria Silva Galdino Cardin 1. Das relações familiares na pós-modernidade e seus reflexos jurídicos

Instruções para Cadastro de Grupo da Unicesumar:

Para dar início ao processo de criação de um grupo de pesquisa na Unicesumar e seu respectivo cadastramento no Diretório de Grupos de Pesquisa no Brasil do CNPq, o proponente, denominado líder, deverá encaminhar para o Setor de Pesquisa (pesquisa@unicesumar.br) as seguintes informações:

  • nome do líder;
  • endereço eletrônico do líder;
  • nome do grupo de pesquisa;
  • linhas de pesquisa;
  • regulamento (verificar regulamento para criação de grupos, artigo 7º)

Após essa informação, a Diretoria de Pesquisa analisará e, se aprovado, encaminhará ao líder, por e-mail, as instruções necessárias para a inclusão dos dados específicos do grupo de pesquisa no Diretório.

A Certificação Institucional do Grupo junto ao CNPq será efetuada mediante a deliberação favorável da Diretoria de Pesquisa quanto ao Regulamento do Grupo. Para tanto, esse Regulamento deverá ser encaminhado o mais breve possível para o Setor de Pesquisa, atendendo ao contido no Artigo 7º do Regulamento para Criação de Grupos de Pesquisa da Unicesumar.

Grupo de pesquisa é definido como um conjunto de indivíduos organizados hierarquicamente:

  • cujo fundamento organizador da hierarquia é a experiência e a liderança no terreno científico ou tecnológico;
  • em que há envolvimento profissional e permanente com atividades de pesquisa;
  • no qual o trabalho se organiza em torno de linhas comuns de pesquisa; e
  • que, em algum grau, compartilha instalações e equipamentos.

As linhas de pesquisa representam temas aglutinadores de estudos científicos e/ou tecnológicos, que se fundamentam em tradição investigativa, de onde se originam projetos cujos resultados guardam relação entre si.

Projeto de pesquisa é a investigação.

O pesquisador líder de grupo é o personagem que detém a liderança acadêmica e intelectual naquele ambiente de pesquisa. Normalmente, tem a responsabilidade de coordenação e planejamento dos trabalhos de pesquisa do grupo. Sua função aglutina os esforços dos demais pesquisadores e aponta horizontes e novas áreas de atuação dos trabalhos.

Pesquisadores são os membros graduados ou pós-graduados da equipe de pesquisa direta e criativamente envolvidos com a realização de projetos e com a produção científica, tecnológica e artística do grupo. Estagiários pós-doutores são considerados pesquisadores.

São estudantes (bolsistas ou não) em iniciação científica e pós-graduação (exceto os estagiários em nível de pós-doutoramento, que devem ser considerados pesquisadores), que participam ativamente das linhas de pesquisa desenvolvidas pelo grupo, como parte de suas atividades discentes, sob a orientação de pesquisadores do grupo.

Para cadastrar um Grupo de Pesquisa deve-se primeiramente enviar à Secretaria de Pesquisa (pesquisa@unicesumar.br), e-mail informando nome do líder do grupo e título do Grupo. Após, a Diretoria de Pesquisa habilitará o líder junto à base de dados do CNPq e enviará no e-mail do líder as instruções para cadastro do grupo naquela base.

O Diretório dos Grupos de Pesquisa no Brasil é um projeto desenvolvido no CNPq desde 1992. Constitui-se em bases de dados (censitárias e corrente) que contêm informações sobre os grupos de pesquisa em atividade no País.

As informações constantes nessas bases dizem respeito aos recursos humanos constituintes dos grupos, às linhas de pesquisa em andamento, às especialidades do conhecimento, aos setores de aplicação envolvidos, à produção científica e tecnológica e aos padrões de interação com o setor produtivo. Além disso, cada grupo é situado no espaço e no tempo.

Os grupos de pesquisa inventariados estão localizados em universidades, instituições isoladas de ensino superior, institutos de pesquisa científica, institutos tecnológicos, laboratórios de pesquisa e desenvolvimento de empresas estatais ou ex-estatais e em algumas organizações não-governamentais com atuação em pesquisa científica ou tecnológica. Os levantamentos não incluem os grupos localizados nas empresas do setor produtivo.

A base de dados possui três finalidades principais. No que se refere à sua utilização pela comunidade científica e tecnológica no dia a dia do exercício profissional, é um eficiente instrumento para o intercâmbio e troca de informações.

Com precisão e rapidez, esse Diretório permite responder quem é quem, onde se encontra, o que está fazendo e o que produziu recentemente. No âmbito do planejamento e de gestão das atividades de C&T, o Diretório é, talvez, a mais poderosa ferramenta já desenvolvida no Brasil. Seja no nível das instituições, seja no das sociedades científicas ou, ainda, no das várias instâncias de organização político-administrativa do País, a base de dados é uma fonte inesgotável de informação.

A unidade de análise que constitui a base de dados do Diretório é o grupo de pesquisa. Cada grupo de pesquisa deve organizar-se em torno de uma liderança, que é a fonte das informações sobre os grupos constantes na base.

As informações sobre o grupo, os pesquisadores, estudantes, o pessoal de apoio técnico e as linhas de pesquisa são fornecidas pelos líderes dos grupos por meio do site de Coleta/atualização. Alguns dados pessoais sobre os pesquisadores e estudantes e aqueles relativos à produção científica, tecnológica e artística são compromissos de cada pesquisador e estudante, que os informam em seus currículos Lattes.

Com precisão e rapidez, é capaz de responder quem é quem, onde se encontra, o que está fazendo e o que produziu recentemente. No âmbito do planejamento e de gestão das atividades de C&T, o Diretório é, talvez, a mais poderosa ferramenta já desenvolvida no Brasil. Seja no nível das instituições, seja no das sociedades científicas ou, ainda, no das várias instâncias de organização político-administrativa do País, a base de dados é uma fonte inesgotável de informação. Além daquelas informações diretamente disponíveis sobre os grupos, seu caráter censitário convida ao aprofundamento do conhecimento por meio das inúmeras possibilidades de estudos empíricos. A construção de amostras de grupos e pesquisadores permitirá alcançar respostas sobre campos não cobertos pelos dados, como, por exemplo, o financiamento ou a avaliação qualitativa da produção científica e tecnológica. Finalmente, a base de dados, na medida em que se pretende recorrente (realização de censos), virá a ter cada vez mais um importante papel na preservação da memória da atividade científico-tecnológica no Brasil.

Patrícia Panta Ferreira Trento
pesquisa@unicesumar.edu.br
Telefone: (44) 3027-6360 | Ramal: 1346
Localização: Bloco 11, 5º Andar