Você sabe o que é uma pessoa autodidata? É aquela que tem a capacidade de aprender de maneira autônoma, a partir de leituras, exercícios ou outras técnicas de estudo. Por isso, ela nem precisa de um professor ou tutor para mediar o aprendizado, ainda que esse reforço seja bem-vindo e valioso.

Neste post, você vai conferir boas dicas para se tornar autodidata e ter organização nos estudos. Isso não quer dizer que é para largar o cursinho, abandonar o sonho da faculdade ou desconfiar de professores, ok? A ideia é conquistar mais independência ao seu processo de aquisição de conhecimentos –– principalmente se escolheu estudar a distância.

Gostou? Então, continue a leitura!

1. Crie o hábito de estudar

Estudar em casa pode ser uma tarefa complicada, mas é uma etapa essencial para diferentes objetivos na vida, inclusive o de ingressar no ensino superior e conquistar um bom emprego na sua área de interesse. Como vimos, é possível contar com o apoio do autodidatismo para melhorar o aprendizado.

Para isso, é preciso acostumar a sua mente aos estudos, certo? É nesse ponto que entra o hábito. Por mais que apareçam a preguiça e a procrastinação, dá para contorná-las com força de vontade. Funciona assim: se você faz um combinado consigo mesmo de se dedicar em determinado horário do dia, cumpra-o.

Se, no começo, essa missão lhe parecer difícil, insista um pouco. Com o tempo, a tarefa vai fluir naturalmente, e você poderá até apreciar os momentos que passa estudando sozinho.

2. Gerencie o seu tempo

Reclamar que não há tempo para alguma atividade é uma das desculpas mais usadas pelas pessoas. De fato, a rotina pode ser bem corrida, principalmente para quem precisa conciliar os estudos com o trabalho. Mas já pensou que, muitas vezes, essa sensação é motivada pela falta de organização?

Um exemplo é se você pega o celular e se distrai por bons minutos com as redes sociais: esse tempo poderia ser mais produtivo se usado para a leitura de um capítulo ou a resolução de exercícios, entre outras atividades. Para que esses eventos não sejam recorrentes, um cronograma ajuda demais.

Ao montar o seu, reserve espaço para as principais atividades do seu dia, encaixando-as nos horários disponíveis. Também vale incluir o lazer e as atividades físicas, que contribuem para a motivação –– mais adiante, você verá que ela é fundamental. Então, siga esse planejamento fielmente e conquiste a sua produtividade no autodidatismo.

3. Seja curioso e pesquise

Pessoas curiosas não se acomodam ou se contentam com pouco. Por isso, em geral, já têm um espírito autodidata. Se você não tem essa característica por natureza, não há problemas! Saiba que é possível adquiri-la e trabalhá-la ao longo da vida –– de novo, a partir do treinamento da mente.

Então, se estiver diante de algum fato histórico, data ou afirmação, sempre desconfie (no bom sentido da palavra). Vá em busca de explicações mais aprofundadas, como a origem do cenário, o que contribuiu para um evento, quem esteve envolvido e assim por diante. Isso serve para qualquer disciplina e, até mesmo, para conhecimentos complementares.

4. Use a tecnologia a seu favor

Ao longo da sua trajetória para se tornar autodidata, você vai perceber que existem importantes aliados, e a tecnologia é um deles. Nesse sentido, há ferramentas disponíveis para otimizar o tempo, organizar as atividades, monitorar o progresso e ajudar na motivação, entre muitos outros.

Aproveitar essas soluções é uma oportunidade de tornar o seu aprendizado mais interativo e completo. Só tome cuidado para não cair nas distrações das redes sociais e páginas não relacionadas com seus estudos, certo?

5. Estabeleça metas de aprendizado

Definir metas e objetivos também é importante para os estudos. Afinal, qual é o seu propósito com essa missão de se tornar autodidata? Possivelmente, conquistar uma vaga na faculdade que sempre quis ou, se já estiver nela, se desenvolver para ter a carreira de sucesso que merece. Até aqui, você já sabe.

Como esse é um objetivo grande e de longo prazo, pense em metas menores para serem concluídas com isso em vista. Entre as principais, podemos listar:

  • montar um cronograma de estudos eficiente, como vimos;
  • ler determinada quantidade de textos ou capítulos por dia ou no tempo estipulado;
  • encontrar as técnicas de estudo mais adequadas para seu aprendizado;
  • aprender um tema com o qual você sente mais dificuldade;
  • desvendar as respostas corretas para um determinado número de exercícios sem consultar os materiais;
  • intercalar as leituras com outros formatos de aquisição de conhecimento, como vídeos e podcasts.

Tenha em mente que as metas precisam ser realistas: nem tão difíceis, a ponto de ficarem sem conclusão, nem fáceis demais, para não desanimar. Também é necessário ter um controle documentado sobre seu desempenho, o que ajuda a saber em que pontos melhorar para conquistar melhores resultados.

6. Mantenha-se motivado

Por fim, é importante não desistir. O caminho para se tornar um estudante autodidata nem sempre será fácil. As tentações vão aparecer, e, muitas vezes, você pode desanimar diante de algum conteúdo complicado. É nessas horas que fica ainda mais evidente a importância da automotivação.

Esse desafio pode ser vencido se você buscar formas de se engajar o tempo todo. Uma delas acontece com as metas estabelecidas, como vimos. Dá para reforçá-las com recompensas, de modo a reconhecer as suas pequenas vitórias de cada dia. E não precisa ser algo elaborado: por uma semana de cronograma concluído com sucesso, faça um pedido da sua comida favorita no delivery, por exemplo.

A gamificação nos estudos chegou com tudo, e dá para tirar boas ideias dessa proposta para motivá-lo a ser autodidata. Para isso, comece com o básico: pense em si mesmo como um personagem com várias fases a serem vencidas –– ou seja, suas metas. A cada conclusão, aumentam seus pontos, que, posteriormente, podem ser trocados por recompensas.

Ser autodidata ajuda bastante nos estudos –– seja na busca pela aprovação no vestibular ou Enem, seja já durante a graduação. Por isso, adote essas dicas da Uni e crie hábitos para se aproximar do sucesso. Se você escolheu um curso EAD para a formação acadêmica, essa competência será um grande diferencial. Já pensou ter o diploma em mãos e ainda contar com essa característica?

Para começar, temos um convite: baixe o material e veja como montar o ambiente de estudos perfeito e organize as suas atividades hoje mesmo!

Comentários

Comentários