Estudar para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) é como se preparar para uma maratona. E como essa rotina consome não apenas tempo, mas muita energia, é importante garantir que seu corpo – especialmente seu cérebro – receba os nutrientes necessários para um bom desempenho. Por isso, separamos algumas dicas de alimentação para o Enem para ajudar a encarar essa prova importante.     

Colocar seu cérebro para funcionar é um baita exercício. Ainda que represente apenas 2% do peso corporal, o cérebro demanda 20% da nossa Taxa Metabólica de Repouso (RMR, na sigla em inglês). Segundo a Superinteressante, não é possível definir quantas calorias vale um pensamento, contudo é possível estimar que sua mente utiliza cerca de 10,8 calorias por hora.

Prepare-se para conhecer os alimentos podem fazer diferença na preparação, na véspera e no dia de encarar o Enem. Confira!
cta1-rotina-enem

Dicas de alimentação para o Enem na preparação para a prova

O que você come pode influenciar seu rendimento e disposição para estudar. Algumas dicas de alimentação para o Enem, se aplicadas no longo prazo, podem dar aquela forcinha para seu bem-estar e, por consequência, sua capacidade de aprender. Assim, seu cérebro ganha mais combustível para funcionar bem com a ajuda de alguns nutrientes. Veja só:      

1. Opte por cereais integrais

Aveia e outras farinhas integrais são ótimas fontes de carboidratos.

A habilidade de concentração vem de uma fonte constante e adequada de energia, na forma de glicose no seu sangue e cérebro. Cereais integrais como a aveia são digeridos lentamente pelo corpo, o que significa a exata fonte de energia que você precisa.

Por isso, vá de mingau de aveia, além de pão, arroz e macarrão integrais.  

2. Ômega-3

Este é um tipo de gordura boa que favorece a comunicação entre os neurônios, melhorando a concentração, a memória e o aprendizado em geral.

Salmão, sardinha, atum, tainha etc são exemplos de peixes que possuem esse nutriente. Sementes de linhaça, chia, abóbora e feijão também fornecem ômega-3.  

3. Ovos

Aquele ovinho mexido ou frito (com pouquíssimo óleo!) com gema molinha dá água na boca, não é?

Simples e delicioso, o ovo também tem Omega-3 e DHA, que melhoram humor e memória.  Além disso, ajuda a manter as células do cérebro saudáveis.

4. Salada

Faça um prato colorido!

Se você colocar espinafre, beterraba e tomate no prato, vai ter ferro, nitratos, melhora no fluxo sanguíneo, vitamina C, licopenos e uma receita para prevenir envelhecimento do cérebro. Outro verde interessante é o brócoli: fonte de vitamina K, melhora as funções cognitivas.   

5. Nozes

Agradeça quem plantou a nogueira, porque as nozes contêm ácidos gordurosos que ajudam a otimizar a performance do cérebro. Além disso, nozes são fonte de ferro e oxigênio para o cérebro, aumentando sua atenção e habilidade de reter informações.

Castanhas, pistache, amendoim também estão valendo!

6. Um docinho, por favor

Depois do almoço bate aquela vontade de doce?

Vá de frutas, como a banana, que é rica em potássio, mineral essencial para o cérebro. Chocolate amargo também está liberado, já que aumenta o nível de serotonina e endorfina, fundamentais para nossa concentração.   

7. Café: pode isso, Arnaldo?

Essa regra é clara: se não for em excesso, pode sim. Café, chá verde e chimarrão combatem a fadiga mental e ativam o sistema de alerta.  

Dicas de alimentação para o Enem - salada e ovo

Para a véspera e dias de prova

Agora que você já está fera nas dicas de alimentação para o Enem a longo prazo, vamos pensar no que comer no grande dia? Confira algumas dicas:

1. Não invente

Véspera do Enem não é ocasião pra ir experimentar comida indiana pela primeira vez ou provar aquele cachorro-quente que parece delicioso na lanchonete recém-inaugurada na esquina, combinado?

Nos dias antecedem as provas, evite a chance de qualquer mal-estar e prefira comer onde você está acostumado, optando por pratos leves e saudáveis.

2. Comece o dia bem

Mesmo que você pule o café da manhã normalmente, evite ir fazer o Enem em jejum.

Se você não é chegado nessa refeição, faça uma vitamina com frutas ou coma um iogurte com cereal. Caso esse não seja o seu caso, o combo fruta, iogurte desnatado, cereal e pães integrais, queijo branco e um café pode ser uma boa pedida, segundo a nutricionista Simone Caivano.

3. Lancheira

Sim! Leve suprimentos para te dar um gás durante a prova.

Nozes, um sanduíche com peito de peru e salada, fruta e até um chocolatinho 70% cacau (ou mais!) podem entrar nessa lancheira. Não esqueça de levar água!

4. Pegue leve no almoço

A gente sabe que o Enem é no fim de semana, mas nada de feijoada ou churrasco nesses dias de prova, ok?

Isso porque refeições pesadas e gordurosas podem te fazer ficar sonolento ou ainda sentir uma indisposição. Tente fazer um prato colorido, com salada, carboidrato integral e um tipo de proteína grelhada, como peixe ou frango.

Bonus track: equilíbrio

Não adianta seguir todas essas dicas de alimentação para o Enem, reduzir as horas de sono e de convívio com a família, estudar horas e horas a fio paradinho no mesmo lugar.

Sabemos que se preparar para uma prova como essa exige concentração, mas isso não significa não fazer nada da vida além de enfiar a cara nos livros.

Equilíbrio é a melhor fórmula para a equação. Dedique-se aos estudos para mandar bem no Enem, porém separe tempo para se exercitar, para comer sem pressa coisas que te fazem bem, passe tempo de qualidade com familiares e amigos e…descanse! Com o balanço certo, você dá conta de tudo e não adoece por causa de uma prova.

 

Agora que você já está por dentro das melhores dicas de alimentação para o Enem, que tal conferir algumas opções de cursos de graduação?

Na Unicesumar, o resultado da prova pode ser usado para inscrição no processo seletivo. Assim, você nem precisa fazer a prova do vestibular para concorrer a uma vaga!

Clique aqui e confira quais cursos de graduação a Unicesumar oferece.

cta2-rotina-nem

Comentários

Comentários