A pandemia do coronavírus fez com que toda a sociedade precisasse repensar sua forma de trabalhar. Empresas migraram para o digital e vivenciaram transformações significativas no que diz respeito ao relacionamento entre colegas, rotina de trabalho e processos em geral.

Agora, convivemos com o efeito dessas mudanças, principalmente em relação à presença do trabalhador no escritório. Dúvidas entre trabalho híbrido ou remoto começaram a surgir na medida em que as empresas estão estabelecendo suas novas normas para o retorno ao escritório.

Se você está passando por esse momento de dúvida, acompanhe a leitura e reflita sobre a melhor opção.

O que é trabalho híbrido e como ele funciona?

Assim como o nome já aponta, o trabalho híbrido é executado em dois ambientes: casa e empresa. Essa modalidade se tornou mais popular quando a vacinação avançou no país e as taxas de contaminação foram controladas.

Dessa forma, o colaborador consegue aproveitar os benefícios das duas modalidades. Em alguns dias, permanece em casa executando suas tarefas de maneira remota, e, nos outros, se encontra com o time para resolver aquelas questões que funcionam melhor presencialmente.

Colaboradores que preferem o trabalho híbrido, geralmente, pontuam como benefício o fato de não se manterem isolados em casa durante toda a semana. Além disso, não é todo mundo que tem um espaço adequado para trabalhar — muitas vezes, o quarto se torna o escritório e espaço de lazer ao mesmo tempo.

A possibilidade de “escapar” durante um ou dois dias da semana também pode ser importante para áreas de atuação que funcionam melhor com reuniões em grupo, momentos de discussão ou tarefas com a necessidade de, literalmente, colocar a mão na massa.

O que é trabalho remoto?

O trabalho remoto seria o contrário do presencial. Nessa modalidade, os colaboradores não precisam se deslocar para a empresa em nenhum momento. Significa que tanto o fluxo de trabalho quanto as ferramentas disponíveis funcionam bem quando executadas a distância.

É possível trabalhar de casa ou em algum espaço de coworking, por exemplo. A segunda alternativa é interessante para as pessoas que se cansaram do espaço de casa e desejam mudar os ares um pouco.

Existem várias particularidades no trabalho remoto que deverão ser analisadas caso a caso. Enquanto algumas empresas estabelecem um horário para que o time esteja on-line, outras se baseiam nas entregas e deixam a agenda livre para que cada um se organize conforme preferir.

Quando pensamos nos benefícios, o mais popular é a redução de tempo de deslocamento e gastos que o modelo presencial acaba gerando: pessoas em cidades grandes podem gastar até 4 horas por dia apenas nesse processo de chegar ao trabalho.

Além disso, a liberdade de trabalhar de qualquer lugar (podendo mudar de cidade ou, até mesmo, de país, em alguns casos) também se tornou um grande atrativo para os “defensores” do trabalho remoto.

Quais as diferenças entre trabalho híbrido e remoto?

A principal diferença é a espacial. No trabalho híbrido, é necessário se deslocar para a sede da empresa durante alguns dias da semana. Por isso, o colaborador deve estar relativamente próximo da empresa para que a rotina faça sentido. Não é possível, por exemplo, passar alguns meses trabalhando de outro estado.

Por outro lado, também devemos pensar nos detalhes do dia a dia. O trabalho remoto não oferece aquela interação espontânea entre os colegas: seja um almoço, um papo no corredor ou a famosa hora do café. A maioria dos encontros acaba se tornando algo mais formal, já que é preciso marcar uma reunião para que esse contato “cara a cara” aconteça.

Outra diferença é em relação aos gastos: quem trabalha em casa poderá sentir um aumento nas contas de luz e água, por exemplo, enquanto os que estão no regime híbrido terão gastos diferentes, como um almoço no restaurante perto da empresa.

Quais as particularidades do trabalho híbrido e remoto?

Cada um dos modelos de trabalho, seja híbrido ou remoto, conta com pontos positivos e negativos. E essas questões, na maioria das vezes, se esbarram em desejos pessoais.

Portanto, não é possível afirmar que um ou outro é melhor, já que isso depende de uma série de questões que envolvem tanto a vida pessoal do colaborador, quanto a estrutura da empresa em que ele trabalha.

Como escolher entre trabalho híbrido ou remoto?

O processo de escolher entre trabalho híbrido e remoto não é tão simples como parece. Para tomar a melhor decisão possível, vale a pena refletir sobre toda a sua rotina, planos para o futuro e modo de trabalhar.

Pensando em ajudar você, listamos 4 perguntas que podem ser um ótimo guia para começar a desenvolver esse pensamento.

1. Como você se organiza no dia a dia?

Pessoas que não têm um bom senso de organização podem se prejudicar no trabalho remoto — ou rapidamente deverão sentir que esse modo de trabalho não é algo “para elas”. Cada um funciona de uma forma e está tudo bem sentir a necessidade de ter pessoas perto para executar melhor as suas tarefas!

No entanto, faça uma reflexão sobre o seu processo de organização diária. Você lida bem com a possibilidade de precisar controlar as suas entregas com autonomia, ou trabalha melhor “sob pressão”? Estar em casa é algo que motiva para trabalhar, ou você não consegue ser produtivo nesse local?

2. O quão longe você mora do trabalho? Quanto tempo passaria se deslocando até lá?

Muitas pessoas acabaram se mudando durante a pandemia — seja para ficar mais perto da família ou para fugir de grandes centros urbanos com custo de vida alto. Se você está atualmente longe do local de trabalho, vale se questionar sobre a possibilidade de se mudar para mais perto.

Isso porque a rotina híbrida demanda essas idas ao escritório — e enfrentar a estrada ou o aeroporto semanalmente pode ser algo bem cansativo.

Também existem aquelas pessoas que estão estudando, e não são todos os tipos de faculdade que oferecem um curso híbrido ou remoto, por exemplo. Dessa forma, a logística de se deslocar pode ficar ainda mais complicada.

3. Como é a sua estrutura familiar?

O trabalho remoto foi responsável por aproximar muitas famílias durante o período de isolamento. Agora, existem uma série de colaboradores que não querem abrir mão dessa proximidade com os pais ou filhos, por exemplo.

Outra questão é a logística. Com os pais em casa, pode ser possível economizar nos gastos e não precisar mais de alguma pessoa para cuidar das crianças ao longo do dia.

Pensando no cenário contrário, há quem tenha ficado sobrecarregado com a rotina de cuidar da casa e da família enquanto precisa trabalhar, quase que de forma simultânea. Para essas pessoas, a possibilidade de ir para o escritório durante alguns dias da semana pode ser aquele escape necessário.

4. Qual é a sua área de atuação?

Existem áreas que dificilmente conseguirão se manter no trabalho remoto. Carreiras na área de tecnologia e comunicação geralmente se beneficiam. Mas se esse não é o seu caso, saiba que o híbrido — ou até mesmo o 100% presencial — poderá ser inevitável.

E então? Acha que agora consegue escolher entre o trabalho híbrido ou remoto? Se gostou de acompanhar este tópico tão importante para o mercado de trabalho na atualidade, curta a nossa página do Facebook para encontrar outros conteúdos sobre o tema!

Comentários

Comentários