Já parou para pensar sobre o seu perfil profissional? Se precisasse passar por uma entrevista de emprego agora, ou se fosse montar seu currículo, o que mencionaria sobre suas características? Entender isso é muito importante, pois é o que levará você a conquistar um espaço no mercado.

Além disso, ficar por dentro de suas qualidades, seus pontos de melhoria e aptidões facilita identificar as oportunidades propícias ao seu sucesso. Então, pensando em ajudar nesse aspecto, conversamos com Victor Biazon, professor e coordenador do curso de Gestão de Recursos Humanos da EAD UniCesumar. Ele nos deu várias dicas interessantes de como identificar esse perfil profissional. Confira!

O que é o perfil profissional?

O perfil profissional é uma descrição de atributos pessoais, habilidades e competências, que nos diz que tipo de profissional somos — e nos ajuda a perceber qual carreira combina conosco. É como se fosse nossa personalidade na profissão, pois esclarece interesses e vocações. Esse perfil não é estático, ou seja, tende a mudar, de acordo com nossa evolução.

Por que conhecer o perfil profissional é importante?

Victor Biazon começa nos dizendo que esse conhecimento é necessário não apenas ao estudante, mas também à instituição de educação. “Em todo curso, existe um catálogo nacional no qual consta uma descrição do perfil que o aluno precisa ter ao terminá-lo. A partir disso, a faculdade organiza a matriz curricular com as disciplinas adequadas”.

Ou seja, as instituições estudam esse perfil e pensam em estratégias a fim de ajudar os estudantes a se encaixarem melhor nele. Para o lado do profissional, conhecer esse aspecto oferece alguns benefícios, que veremos adiante!

Melhor direcionamento a cursos superiores

Entender nosso perfil profissional é válido mesmo antes de entrarmos na faculdade, pois nos ajuda a escolher um curso mais alinhado conosco. Victor exemplifica: “se sou uma pessoa que fala bastante, posso partir para profissões da área da Comunicação. Se sou alguém introvertido, megainteligente em Matemática e curto tecnologia, é possível que eu goste de Engenharia de Software ou Tecnologia da Informação”.

Delimitação de carreiras

Isso nos auxilia durante a vida toda, também. Ao identificar aptidões, podemos priorizar o caminho mais propício ao sucesso. Observar a falta das nossas habilidades, por outro lado, ainda nos ajuda a entender como podemos aprimorar competências e alcançar colocações melhores.

Impactos no autoconhecimento e no crescimento

Com um bom autoconhecimento, aumentamos nosso poder de buscar evolução e qualificação profissional. Por exemplo, “se entendi que determinado comportamento meu é prejudicial dentro da profissão que busco, posso refletir se ainda quero me encaixar nela. Se sim, então tenho que me adaptar. Não preciso deixar minha essência, mas tentarei adquirir uma competência que me possibilite realizar um desejo meu”, explica Victor.

Como descobrir seu perfil profissional?

Há várias formas de encontrar seu perfil profissional. A seguir, falaremos das mais indicadas!

Ter autoconhecimento

Entender quem você é e para onde quer ir é um dos passos fundamentais. Para tanto, Victor sugere que podemos começar entendendo o que gostamos, o que nos deixa felizes, o que nos incomoda, o que nos frustra. Colocamos tudo em caixinhas. Isso nos leva a descobrir o que evitar e o que potencializar. Outra dica dada pelo professor é fazer o famoso questionamento da infância: “o que quero ser quando crescer?”.

Ele explica: “vamos supor que minha resposta seja ‘médico’. Ao buscar informações sobre a profissão, preciso olhar para meus pontos fortes e fracos. ‘Poderei ficar disponível 24h?’, ‘conseguirei fazer cirurgias?’. Se a resposta for ‘não’, preciso descobrir se tenho vontade de me aprimorar. Se eu não tiver esse interesse, então, tenho que pensar em outras possibilidades”.

Utilizar metodologias importantes

Existem hoje ótimos testes de personalidade. Contudo, Victor alerta para a importância de fazermos com sinceridade, pois, se dermos respostas pensando no que o mercado e a sociedade valorizam, o resultado fica enviesado e não nos mostra nossas reais características e inclinações.

O coordenador do curso de RH sinaliza: “se eu simplesmente assinalar que tenho um comportamento, mas mentir sobre isso, ficarei cada vez mais distante de me tornar o profissional e a pessoa que eu gostaria de ser. Já se eu falar a verdade, terei a oportunidade de me aproximar da realidade que quero atingir e evitarei frustrações. Podemos aproveitar esses testes para fazer uma autoanálise, uma reflexão do que somos”.

Pedir feedbacks

Conversar com pessoas do nosso convívio também é uma boa ideia, já que a visão externa nos faz perceber como os outros nos enxergam. “Amigos próximos ou colegas de trabalho podem nos ajudar a enxergar o que temos de bom e o que podemos melhorar”, recomenda o professor. É como se fosse uma consultoria e, ainda, não gastamos nada com ela.

Montar o currículo

Esse é um momento no qual paramos para avaliar o quanto nossas características se encaixam nas exigências. “No mercado de trabalho, antes de sermos pessoas, somos um currículo”, alerta Victor. “Então, essa elaboração é minha grande charada, pois olhamos para nossa trajetória e nos entendemos melhor”.

Nisso, é preciso se lembrar de realizações que vão além de um trabalho, porque elas nos dizem algo sobre facilidades e preferências. O professor exemplifica dizendo que uma pessoa ativa em trabalhos voluntários, grupos de estudos, coral do bairro e que tenha dirigido uma comissão de formatura, possivelmente, é alguém com facilidade na comunicação. Sendo assim, cargos que exijam boa comunicabilidade tendem a ser adequados.

Testar possibilidades

Isso significa partir para a ação e ver como o mercado nos recebe. Assim, podemos testar nossas potencialidades ao distribuir currículos e participar de diversos processos seletivos, porque, desse modo, começamos a perceber melhor o que temos de positivo a contribuir.

Conhecer o mundo

Tal dica não quer dizer, necessariamente, viajar, mas estar por dentro de tudo o que acontece. O professor aponta: “O mercado exige conhecimentos gerais, mas é possível usar a internet para isso. Saiba, por exemplo, o que está acontecendo ao redor. Busque sobre a pandemia, a economia e a política. Não é necessário ser um exímio conhecedor de tudo, mas os profissionais precisam ter condições de dialogar”.

De que forma usar o perfil profissional a seu favor?

À medida que o tempo passa, evoluímos e o perfil pode mudar junto. Portanto, Victor recomenda a prática de revisitá-lo, de vez quando. Dessa maneira, conseguimos nos conhecer melhor. Isso porque temos dificuldade em perceber o quanto progredimos. Então, é uma forma de reparar na nossa trajetória. Precisamos aprender a saborear nosso sucesso e a dar valor ao que alcançamos. E essa compreensão ainda evita que sejamos mal-agradecidos pelas coisas conquistadas.

Estar à par do nosso perfil é, também, um incentivo para buscar mudanças constantes. “Engana-se o profissional que acredita já estar onde deveria. Isso faz com que ele relaxe e a concorrência é gigante. Tornamo-nos obsoletos muito rapidamente. Então, essa prática nos ajuda a ter atenção ao que está acontecendo, inclusive para aumentar oportunidades de trabalho”, conclui Victor Biazon.

Por fim, fica a mensagem — investir em uma graduação e fazer capacitações constantes é primordial a quem deseja conquistar boas vagas no mercado. A compreensão do perfil profissional, além de ajudar no começo da trajetória, transforma-se em um guia para o alcance do sucesso.

Depois de toda esta leitura, teve curiosidade em se conhecer melhor? Então, acesse o teste e descubra seu perfil profissional!

Comentários

Comentários