Existem muitas formas de ensinar e aprender: enquanto algumas pessoas têm facilidade em absorver conteúdos de leitura, outras precisam de recursos mais dinâmicos.

Alguns estudantes só aprendem com um professor explicando, outros se dão bem com trabalhos em grupo e descobertas a partir de discussões. Enfim, esses são apenas alguns exemplos de práticas pedagógicas.

Esse conceito gira em torno de um planejamento metodológico que a instituição de ensino e os docentes fazem para gerar os melhores resultados de aprendizagem. Como cada um aprende melhor de um jeito, vale a pena atentar às práticas pedagógicas na hora de escolher um lugar para começar a estudar.

Continue a leitura para entender melhor sobre esse conceito e por que é importante ter atenção a ele!

O que são práticas pedagógicas?

Os processos de ensino-aprendizagem dependem de muitos fatores para gerar bons resultados. São questões como o interesse no assunto, a capacidade didática do docente, as técnicas de estudo utilizadas, a possibilidade de dedicação do estudante e até uma predisposição.

Por exemplo, algumas pessoas têm mais facilidade em lidar com a Matemática do que outras. As práticas pedagógicas são um desses fatores. Em resumo, elas são uma escolha metodológica do docente, da instituição ou do próprio estudante, para tratar de determinado conteúdo, considerando:

  • a intencionalidade pedagógica, ou seja, o objetivo de aprendizagem naquele tema;
  • as expectativas da instituição e do docente em relação ao desempenho dos estudantes;
  • as condições de ensino, em relação a tecnologias, infraestrutura e materiais;
  • o perfil de estudante e seu estilo de aprendizagem, que pode envolver preferências pessoais e determinadas facilidades ou dificuldades, a depender dos tipos de inteligência que se sobressaem para cada um.

Quais são os impactos dessas práticas?

Atualmente, sabemos que a educação tradicional não é a única e, muitas vezes, nem a melhor opção. Os velhos moldes escolares com cadeiras enfileiradas, alunos copiando matérias e professores em posições mais hierarquizadas estão sendo revistos.

As tendências educacionais caminham para uma vivência escolar ou universitária cada vez mais colaborativa, dinâmica e interdisciplinar. Isso porque, conforme estudos na área de metodologias e tecnologias educacionais avançam, aprendemos que as pessoas podem ter diferentes modos de aprender.

Sabemos, também, que a participação ativa do aprendiz é muito vantajosa para o ganho de conhecimento, pois ela permite ir além da “decoreba” e mobilizar percepções, hipóteses e conclusões próprias. Desse modo, o aprendizado é mais significativo e profundo.

Assim, prestar atenção nas práticas pedagógicas adotadas por determinada instituição de ensino faz toda a diferença na experiência de estudos. Como dito na introdução, elas representam as diferentes formas de ensinar e aprender.

Quais são as principais práticas pedagógicas?

Nas páginas das universidades, você pode descobrir as práticas pedagógicas utilizadas lendo sobre a metodologia de ensino e os recursos educacionais que a instituição de ensino oferece. Dê uma olhada em algumas das práticas em destaque atualmente!

Protagonismo do estudante

Como dito, o protagonismo do estudante nos processos de ensino-aprendizagem é uma tendência definitiva. Esse conceito parte da ideia de que a construção de conhecimento é uma via de mão dupla. Além disso, a participação ativa do aluno gera mais resultados do que a postura passiva de apenas assistir a aulas expositivas.

Desse modo, práticas que colocam você no centro do processo têm sido muito aplicadas. Uma proposta que vai nessa direção é a da sala de aula invertida, que consiste em passar o conteúdo primeiro para ser visto pelo estudante sozinho — em forma de livros, textos ou atividades.

A sala de aula vem depois: já com alguma bagagem e familiaridade com o tema, você consegue participar muito mais da aula. É possível fazer perguntas e aproveitar com mais dinamismo as informações sistematizadas pelos docentes.

Resolução de problemas

Trabalhar em cima de problemas é uma excelente forma de estimular o aprendizado com dinamismo e autonomia. A partir de uma questão, preferencialmente com contexto concreto e baseada em eventos reais, você pode discutir, fazer questionamentos, mobilizar saberes, formular hipóteses e tirar conclusões.

Essa prática pedagógica ajuda a desenvolver a abstração de conhecimentos. Isto é, em vez de ter um conceito, fórmula ou técnica sempre condicionados aos exemplos e exercícios vistos em aula, os estudantes são estimulados a tirar esse saber do papel e aplicá-lo de forma crítica em outras situações.

Trabalho em grupo

Usando o gancho do tópico anterior, problemas são mais bem abordados quando várias pessoas refletem sobre eles. Isso permite o olhar por diferentes pontos de vista, a ampliação das referências para reflexão e a troca de conhecimentos e conclusões. Por isso, o trabalho em grupo é uma prática pedagógica clássica e que não sai de moda.

Desenvolver atividades junto a colegas contribui não apenas para um aprendizado mais rico e plural, mas também para o aperfeiçoamento de habilidades importantes para a vida acadêmica, profissional e pessoal.

Um exemplo é a gestão de tempo, já que trabalhos em grupo deixam menos margem para procrastinação — há diversas pessoas dependendo da sua participação e compromisso.

Além disso, essas vivências estimulam a capacidade de estabelecer relacionamentos interpessoais, de ouvir ativamente e de se posicionar com empatia.

Recursos multimodais

Livros didáticos e apostilas são muito bem-vindos. Afinal, há inúmeros benefícios da leitura e muitas pessoas de fato conseguem extrair aprendizados desse exercício. Porém, na era digital, os recursos multimodais estão cada vez mais presentes nas práticas pedagógicas.

O uso de filmes para complementar conteúdos já era visto nas salas de aula. Atualmente, o aprendizado também pode ser aprofundado com jogos, simulações 3D, visitas online a museus e outros espaços, podcasts, Instagram de estudos, vídeos do YouTube, entre muitos outros materiais multimídia.

Educação digitalizada

Falando em era digital, é impossível falar de Educação atualmente sem pensar em tecnologias. Os estudos online vieram para ficar na modalidade de educação a distância (EAD) e em suas práticas pedagógicas. Plataformas virtuais, atividades interativas e fóruns online são exemplos.

Conseguiu entender o que são práticas pedagógicas e a importância de avaliá-las na hora de escolher onde estudar? Basicamente, elas correspondem às formas como você vai lidar com os estudos, e isso faz toda a diferença no rendimento e na aprendizagem.

Gostou do conteúdo? Então, acompanhe a EAD UniCesumar nas redes para ficar por dentro de outros posts sobre vida acadêmica e carreira! Estamos aqui: Facebook, Instagram e YouTube.

Comentários

Comentários