Imagine que você precisa contratar um enfermeiro para cuidar de algum familiar. A confiança no profissional aumenta muito quando ele é indicado por alguém que, literalmente, assina embaixo do que disse, certo? Por isso, uma carta de recomendação é tão importante para a validação da experiência profissional.

Mas a utilidade desse documento vai muito além. Afinal, muitas empresas pedem uma carta de recomendação quando o candidato se candidata à vaga e também quando comparece para a entrevista. Nesse sentido, manter um bom networking nos postos de trabalho ocupados — seja CLT ou autônomo — faz toda a diferença.

A seguir, explicamos os diferentes tipos de carta de recomendação, como solicitar esse documento e quais informações são essenciais. Acompanhe!

O que é uma carta de recomendação?

As cartas de recomendação profissional funcionam como um atestado de suas qualidades no trabalho ou acadêmicas. Também pode ser um relato de como você é no dia a dia da empresa. Costumam indicar habilidade com uso de ferramentas específicas e conhecimentos técnicos e, também, citar soft skills — que são cada vez mais um diferencial no mercado de trabalho.

Ao concorrer a uma vaga, muitas empresas pedem que seja levada uma carta de recomendação para atestar o que você contou em seu currículo sobre capacitação profissional e aprofundar as percepções sobre sua experiência. Assim, podem fazer uma carta de recomendação:

  • colegas, gerentes, supervisores ou RH de seu antigo trabalho;
  • pessoas para quem você prestou serviço como autônomo;
  • professores, tanto de faculdade quanto de pós-graduação.

Vale lembrar que existem diferenças entre carta de recomendação e de apresentação. Como você viu, a de recomendação deve ser feita por terceiros. Já a segunda opção é escrita por você mesmo e na primeira pessoa, falando um pouco de sua bagagem profissional, personalidade, estudos e demais experiências que possam trazer diferenciais.

Quais são os modelos de carta de recomendação?

Há diferentes tipos de cartas de recomendação, que variam conforme os objetivos. A seguir, apresentamos os principais e o que eles devem conter. Veja só!

Carta de recomendação genérica

Uma ótima opção quando não há grandes especificações no pedido da carta. Assim, vale a pena incluir os motivos da recomendação e o período em que você trabalhou com essa pessoa (ou prestou serviços a ela). Além disso, é importante indicar o cargo dessa pessoa e um contato, telefone ou e-mail, caso o futuro empregador queira saber mais detalhes.

Carta de recomendação acadêmica

Se você fez graduação e quer buscar uma especialização, muitas instituições podem pedir a carta acadêmica, que mostra um pouco de como você era como estudante. É interessante solicitar a algum professor ou mesmo ao coordenador de seu curso. Lembre-se de pedir para acrescentar o período em que você conviveu com essa pessoa no ambiente acadêmico.

Carta de recomendação profissional

Essa traz um perfil mais detalhado do seu dia a dia no antigo emprego, como você agia no trabalho em equipe, se era uma pessoa proativa etc. Ela pode ser feita por um supervisor ou por alguém da sua equipe.

Carta de recomendação de colega de trabalho

Essa carta de recomendação segue a linha da anterior e também pode demonstrar um lado mais humano seu, uma vez que será redigida por uma pessoa com quem você teve bastante contato.

Quando ela deve ser usada?

Como dissemos logo no início, ela deve ser usada para confirmar sua experiência no trabalho. Profissões ligadas à saúde pedem muito esse documento, que também é solicitado por inúmeras companhias durante seus processos seletivos.

Para os recrutadores, a carta de recomendação também traz mais segurança na contratação. É mais ou menos como as recomendações que os colegas escrevem no seu perfil do LinkedIn — elas chamam a atenção e validam suas qualidades.

Você nem sempre vai precisar de uma carta, mas, para se garantir, pode solicitar aos ex-empregadores, gerentes ou colegas que redijam uma para você. Afinal, já é uma garantia a mais ao ter uma carta de recomendação para conquistar a vaga de emprego.

Qual é a importância do networking para isso?

Criar uma rede de contatos, no ambiente acadêmico ou de trabalho, permite que você tenha contato com pessoas mais experientes e relevantes no seu ramo de atuação. Em momentos de candidatura, quando uma carta com recomendações é solicitada, você tem pessoas que já conhecem o seu desempenho, melhorando as chances de conseguir esse documento.

Uma carta de recomendação ideal é aquela que apresenta experiências vividas com a pessoa que está sendo recomendada e demonstra suas habilidades técnicas e sociais. Assim, quanto melhor seu networking, mais pessoas você pode solicitar uma carta, demonstrando que seu trabalho é bem avaliado por vários profissionais.

Como merecer uma recomendação?

Se quiser receber uma carta de recomendação de destaque, é importante que ela conte com detalhes suas capacidades para exercer bem as atividades exigidas ao ocupar a vaga para a qual você se candidata. Entretanto, isso só é possível se você, de fato, cumpre com os requisitos. Confira a seguir quais comportamentos adotar para merecer uma boa carta de recomendação!

Demonstre comprometimento com as atividades

Pessoas comprometidas e engajadas com as atividades são cada vez mais raras nas empresas e instituições. Logo, se você adota um comportamento proativo, preocupa-se com toda a dinâmica de trabalho e consegue cumprir seus prazos, as chances de uma excelente recomendação aumentam.

Adquira habilidades técnicas

Mesmo que você conte com muitas habilidades interpessoais, é fundamental desenvolver conhecimentos técnicos que envolvem a atividade exercida. Mesmo com ótimos relacionamentos, é necessário fazer um bom trabalho para se destacar. Por isso, busque sempre avançar em sua formação acadêmica, atualizar os conhecimentos e se qualificar profissionalmente para conseguir boas oportunidades.

Saiba trabalhar em equipe

Existem poucas atividades que um único profissional desenvolve de modo isolado e não necessita de mais nenhuma colaboração externa. Portanto, habilidades como paciência, compreensão, empatia e colaboração são elementos fundamentais na avaliação.

O mais importante é buscar sempre colocar os objetivos da empresa ou da instituição à frente de outras necessidades e contar com o apoio de todos para atingi-los. Desse modo, quem fizer a sua recomendação pode destacar suas habilidades para melhorar a dinâmica interna e o fluxo de trabalho de todos.

E como conseguir uma carta de recomendação?

O networking, como você viu, é fundamental em um plano de carreira e, também, para obter bons contatos. Então, cuide bem das relações no ambiente de trabalho e até durante as funções enquanto profissional autônomo. Cultivar bons relacionamentos fará toda a diferença para conseguir sua carta. Além disso, destacamos outros pontos, como:

  • perguntar se a pessoa se sente confortável em fazer essa carta de recomendação, sem forçar a barra;
  • questionar se ela pode ser referência, deixando um contato na sua carta, caso a empresa queira conversar para outros detalhes;
  • garantir que quem escreve a carta conheça bem o seu trabalho ou as suas habilidades. Afinal, a ideia é mostrar seu perfil profissional.

Para quem pedir a carta de recomendação?

A escolha de quem vai escrever uma carta de recomendação para você também é muito importante. Tendo isso em mente, opte por solicitar esse documento a alguém que te conheça e que consiga fazer uma boa descrição de suas habilidades.

Dessa forma, você garante uma boa carta de recomendação que vai te aproximar de seus objetivos. Além disso, uma boa dica é marcar uma reunião com essa pessoa, com o objetivo de apresentar a ela a oportunidade que você está buscando e como a carta de recomendação é importante para isso.

Outro ponto a ser considerado é a relevância de quem vai recomendar. Portanto, no momento de escolher para quem pedir a carta, busque por uma pessoa interessante e que seja relevante na área que você está se candidatando. Se você for bem avaliado por ela, suas chances de conseguir o que planejou vão aumentar consideravelmente.

Como garantir que sua carta de recomendação será eficiente?

Alguns profissionais já têm experiência escrevendo cartas de recomendação ao serem solicitados, mas isso não acontece com todo mundo. Assim, cabe a você explicar alguns pontos relevantes, como:

  • o motivo de a carta ser escrita;
  • quais informações a carta de recomendação deve ter;
  • o período que você trabalhou com essa pessoa ou para a empresa.

Também é válido pedir para explicar sobre as funções e atividades realizadas, o seu desempenho nelas, além de qualidades profissionais, destacando os pontos fortes e o seu potencial.

Quais são as informações mais relevantes?

Para garantir que sua carta tenha tudo o que é necessário, apresente à pessoa esta checklist:

  • nome e cargo de quem vai fazer a recomendação;
  • nome completo de quem será recomendado;
  • data em que trabalharam juntos;
  • data do documento;
  • habilidades técnicas como profissional;
  • soft skills;
  • contato de quem está assinando.

Se a carta de recomendação for impressa, digitalize-a para o caso de precisar novamente, ok? Uma boa prática também é pedir cartas de recomendação ao sair de uma firma, para não precisar correr atrás de última hora.

Viu como é possível conseguir uma ótima carta de recomendação profissional? Ao fazer pequenas melhorias no seu comportamento diário, além de otimizar seu dia a dia, você consegue aumentar suas chances de obter uma carta de recomendação repleta de boas experiências e de considerações sobre suas habilidades.

Conseguir uma carta de recomendação não é tão difícil, viu só? Siga a gente no Instagram e fique de olho em mais dicas bacanas como estas!

Comentários

Comentários