Como você é, em termos de dinheiro: compra somente o necessário, paga as contas e vai poupando? Ou é do tipo que reclama de estar sobrando mês no seu salário? Ficar apertado ou até se endividar é muito comum aqui no Brasil — 48% dos brasileiros, inclusive, passaram 2019 com o nome negativado, sabia?

Na prática, se você está entre as pessoas com nome negativado ou adoraria um mês de 15 dias, para que o dinheiro dure, saiba que isso vai dificultar demais a sua independência financeira. Por exemplo: se um dos seus sonhos é morar sozinho, fica complicado fazer isso sem um bom controle.

A sua sorte é que, neste texto, vamos tratar desse assunto que preocupa muita gente. Afinal, como a educação financeira entrou no currículo das escolas brasileiras somente em 2020, precisamos correr atrás, certo? Então, conheça (e combata) os erros que estão impedindo você de conquistar a independência financeira!

1. Não criar uma reserva de emergência

É muito comum a gente não pensar no futuro, em termos financeiros, e ir comprando sem reflexão. O problema de não ter uma reserva é que você acaba não evoluindo — sem possibilidades de dar entrada em um apartamento, conseguir um financiamento para fazer uma faculdade ou realizar um intercâmbio dos sonhos.

A reserva de emergência também ajuda em casos de desemprego, principalmente quando a economia do Brasil vai mal.

Então, como agir?

Faça um cálculo de seus gastos mensais e reserve cerca de 10% ou 20% do seu salário para ser guardado. Ou seja, essa quantia não será gasta e pode ser aplicada no mesmo mês.

2. Aumentar os gastos quando há aumento de renda

Você já deve ter ouvido a expressão “dar um passo maior que a perna”. Isso significa, por exemplo, ter um padrão de vida muito superior ao que seus ganhos possibilitam. É errado comprometer uma grande parte do seu salário com gastos supérfluos ou, pior ainda, contar com a ajuda de parentes.

Imagine que você tenha um tanto de gastos ao mês que já compromete a maior parte do salário e, mesmo assim, decida parcelar um celular novo contando com a ajuda da sua mãe. Isso demonstra falta de comprometimento com sua realidade.

Então, como agir?

De novo, gaste aquilo que pode, sempre deixando um tanto de reserva. Seu padrão de vida só pode aumentar se o mesmo acontecer com seu salário.

3. Não refletir quanto à compra de passivos

A ideia dos passivos está refletida naquilo que vem embutido no gasto principal. Um carro, por exemplo, precisa de combustível, seguro e manutenção. Uma viagem vai além das passagens e hospedagem — tem alimentação, passeios, presentes etc.

Ou seja, muitas vezes, você tem gastos extras que acabam pesando demais no médio e longo prazo.

Então, como agir?

É bem simples: considere todos os passivos que envolvem seu gasto principal. Por exemplo, às vezes, optar por uma faculdade EAD faz toda a diferença, por não obrigar você a se deslocar todo dia e fazer lanches fora de casa (gasto extra). O cuidado principal é ter uma visão global.

No caso do carro, às vezes, os aplicativos de transporte são muito mais viáveis quando você considera todos os gastos passivos de ter seu próprio automóvel.

4. Acreditar em formas rápidas de enriquecimento

Tirando pessoas que ganharam na Mega-Sena, quem você conhece que enriqueceu do dia para a noite? Isso não existe. Mesmo quem resolve empreender estuda muito até o negócio parar de apenas se pagar e começar, finalmente, a dar lucro.

Então, como agir?

Não acredite nesse tipo de enriquecimento. Muitas vezes, pode até ser um golpe, como existem tantos por aí, até mesmo pelo WhatsApp.

5. Exceder as compras parceladas também afeta sua independência financeira

A coisa mais comum do mundo é se enganar pelas pequenas parcelas. Você compra inúmeros itens parcelados porque, por mês, é pouca coisa, mas se esquece de olhar para o montante. Numa dessas, todo o seu salário fica comprometido por vários meses, sem sobrar para gastos imprevistos. É assim que muitos se endividam, sabia?

Então, como agir?

Evite dívidas. Faça uma nova apenas depois que quitar a primeira. Outra ideia é juntar o dinheiro por algum tempo e comprar à vista, ganhando um bom desconto.

6. Não se importar com o andamento da economia nacional e mundial

A economia do Brasil e do mundo interfere, mesmo que indiretamente, no nosso bolso. Se o dólar está alto, vale a pena esperar para comprar eletrônicos ou qualquer outra coisa que leve componentes cotados em dólar.

Uma crise, como a gerada pela pandemia, fez todos nós ficarmos mais reflexivos antes de gastar — porque nunca sabemos o que pode acontecer.

Então, como agir?

Esteja informado sobre o andamento da economia e reflita sempre os prós e contras de comprar neste momento.

7. Não calcular seus gastos

Pensando em sua independência financeira, é uma ótima prática ter um aplicativo ou uma planilha para colocar todos os gastos que faz. Desde a pizza do fim de semana até as contas fixas. Assim, você vai ter uma noção do todo.

Então, como agir?

Monte agora mesmo uma planilha de Excel ou Google Sheets ou baixe um aplicativo e vá controlando seus gastos mês a mês.

Bônus! Veja o que também ajuda na sua independência financeira

Como vimos, só agora as escolas terão a educação financeira em suas disciplinas. Por isso, é interessante corrermos atrás para entender mais. Veja nossas dicas!

  • Pai Rico, Pai Pobre (livro): esse best-seller fala sobre o valor da inteligência financeira. Por meio de parábolas, permite entender o todo da ideia;
  • Me Poupe (canal do YouTube): você acha que ganha pouco para investir? Então, a Nathalia Arcuri vai mostrar, por meio de vídeos práticos, que você se engana redondamente;
  • Primo Rico (blog): postagens fáceis de entender sobre investimento, para você ficar cada vez mais por dentro do assunto.

A independência financeira não precisa acontecer quando você estiver mais velho, perto de se aposentar. Para conseguir ter mais liberdade o quanto antes, correr atrás faz toda a diferença — até porque ficar negativado pode ser um empecilho para inúmeros sonhos, como conseguir um financiamento estudantil ou alugar seu próprio apartamento. Então, comece a colocar essas dicas em ação o quanto antes.

Já está com muitas ideias para atingir a tão sonhada independência financeira? Que ótimo! Aproveite para ler nossas dicas sobre como conquistar um aumento de salário!

Comentários

Comentários