Quais são os tipos de faculdade, de modalidade de ensino e de formação?

Na hora de escolher seu curso de Ensino Superior, é natural ficar com dúvida. Afinal, vários se mostram interessantes e oferecem boas oportunidades de trabalho. Direito e Administração são clássicos que sempre atraem muitas pessoas, assim como o universo do Design — até para trabalhar com web e softwares. Sem falar nas Engenharias EAD, que trazem muitas habilidades para esse novo momento mais digital que a gente vive.

Para quem está entrando na faculdade, essa dúvida é crucial e, muitas vezes, está associada a outras, como os tipos de faculdade — por exemplo, o que são faculdades, universidades ou centros universitários? Há muitos detalhes que trazem mais segurança para que você faça a melhor escolha.

Pensando nisso, neste texto, você vai entender tudo sobre os tipos de faculdade, as diferentes modalidades de ensino, para você refletir melhor sobre as vantagens de EAD, presencial ou flex, e, também, os tipos de formação. Assim, fica mais simples fazer sua escolha. Vamos lá?

Afinal, quais são os tipos de faculdade?

Faculdade? Universidade? Centro universitário? O fato é que não são todos a mesma coisa, e, abaixo, mostramos as diferenças, que fazem parte do Decreto nº 5.773/06, estabelecido pelo próprio Ministério da Educação (MEC).

Faculdade

Este é o primeiro e mais comum dos tipos de faculdade. Isso, porque, originalmente, toda instituição de ensino será credenciada como faculdade, diferenciado-se em universidade e centro universitário mais tarde, a partir de algumas regras.

Assim, as faculdades são instituições de ensino superior que podem ser públicas ou privadas e estão focadas em determinadas áreas do conhecimento.

Por exemplo, existem faculdades com cursos apenas na área da Saúde ou no Direito. Há, também, aquelas que se restringem ao universo da Comunicação, Engenharia, Tecnologia etc. Elas podem cobrir mais de uma área de conhecimento, como Engenharia e Tecnologia, mas não vão muito além disso.

As faculdades também oferecem uma quantidade menor de cursos, quando comparamos com uma universidade, mas isso diz respeito à opção da instituição em se especializar em uma área de ensino, e não à qualidade do curso e das aulas, ok?

Para ser considerada faculdade, o Ministério da Educação exige que um terço dos professores sejam especialistas em suas áreas. Uma faculdade também pode ter algum curso de especialização, mas esse não costuma ser o foco delas.

Para quem a faculdade é indicada?

Se você adoraria se tornar um especialista na área e se destacar no mercado de trabalho, a faculdade é uma ótima opção.

Universidade

Para o Ministério da Educação, as universidades também se encaixam nos tipos de faculdade. Porém, para ser considerada uma universidade, ela deve conter um conjunto de faculdades multidisciplinares, além de lidar com, pelo menos, três grandes eixos de atividades acadêmicas, que são o ensino, a pesquisa e a extensão universitária.

Nesse caso, as universidades devem ter uma produção intelectual constante, com artigos científicos, por exemplo. Também devem ter em seu portfólio, ao menos, quatro programas de pós-graduação stricto sensu (ou seja, mestrado e doutorado) que sejam bem-avaliados pelo MEC.

Para tanto, o corpo docente de uma universidade deve ser composto por um terço de mestres e doutores. Ainda, é preciso que um terço dos professores trabalhem em regime de dedicação exclusiva à universidade em questão.

Para quem a universidade é indicada?

Sobretudo aos estudantes que sonham com a carreira científica e querem fazer pesquisas ou que consideram o trabalho como professores universitários.

Centro universitário

O centro universitário é um tipo de faculdade que se encaixa entre as universidades e as faculdades. Assim, eles não são tão focados quanto uma faculdade e podem ter mais áreas de ensino trabalhadas, mas não têm a pluralidade de uma universidade. Ainda assim, dedicam-se mais à pesquisa acadêmica.

Para quem o centro universitário é indicado?

Se você se interessa pela pesquisa, o centro universitário, assim como a universidade, acaba sendo um ótimo caminho para seu futuro profissional.

Instituições de Ensino Superior (IES)

Não importa se estamos falando de uma faculdade, de uma universidade ou de um centro universitário, todas são consideradas Instituições de Ensino Superior, que também podem ser públicas ou privadas.

Assim, sempre que você vir o termo IES, sabe que se trata de qualquer uma dessas opções, ok?

Quais são as diferentes modalidades de ensino?

Com a disponibilidade da tecnologia, novas formas de ensino passaram a existir, como os cursos flex e EAD. Trazemos mais detalhes a seguir.

Ensino presencial

O ensino presencial demanda que o universitário esteja presente, fisicamente, na instituição de ensino. Aulas, provas e apresentação de trabalho devem ser feitas no prédio da IES.

Assim, ao optar por esse tipo de formação, lembre-se de que você precisa de uma disponibilidade de tempo maior.

Educação a distância

Aqui, todas as aulas e exercícios são feitos a distância. O estudante ganha muita flexibilidade, pois pode fazer as atividades de sua casa, sem gastar com transporte.

As instituições contam com o ambiente virtual de aprendizagem (AVA), no qual as aulas e materiais de apoio estão disponibilizados. Há, ainda, fóruns para a troca de ideias e tutores que ajudam a sanar dúvidas. O ensino EAD pede que os alunos façam provas presenciais, mas isso, geralmente, acontece uma vez a cada bimestre ou semestre.

Um ótimo exemplo de formação EAD são os cursos de Design, ideal para aqueles que adoram repensar a relação do homem com o ambiente exterior, trazendo mais conforto e funcionalidade, ou trabalhar em produtos digitais, como sites e aplicativos.

Estudar em casa traz ótimos benefícios e permite que as pessoas sejam mais donas do próprio tempo, por exemplo.

Flex

O curso flex tem aulas EAD, a partir do AVA da instituição de ensino, mas também tem laboratórios práticos, que demandam que o estudante esteja presente na IES. Isso pode acontecer entre uma e duas vezes na semana, de acordo com o curso.

Quais são os tipos de formação?

No Brasil, contamos com três tipos de graduação, sendo que todos eles oferecem o diploma de Ensino Superior igualmente e podem ser feitos nas modalidades EAD, presencial ou flex. Falamos mais a seguir.

Tecnológico

São cursos superiores com duração mais curta — cerca de dois anos. São focados no ensino prático e garantem uma formação de tecnólogo. São ótimos para quem tem pressa de se inserir no mercado. Um exemplo é o curso de Gestão de Recursos Humanos.

Bacharelado

O Bacharelado é generalista, formando profissionais prontos para o mercado de trabalho em áreas como Psicologia, Ciência da Computação, Direito e Medicina. Duram, no mínimo, quatro anos, podendo se estender a seis, como no caso da Medicina.

Licenciatura

A Licenciatura oferece ao estudante um diploma que permite que ele trabalhe na educação. Por exemplo, Educação Física, na opção Licenciatura, permite que o egresso dê aulas. Também dura, no mínimo, quatro anos.

Com todas essas informações, fazer a matrícula da faculdade vai ser um momento mais cheio de certezas, não é mesmo? Uma outra dica para acertar no tipo de faculdade é verificar a nota que o MEC dá ao curso. Isso lhe traz boas garantias de um ensino de qualidade.

Gostou de saber sobre os tipos de faculdade e formação? Aproveite para entender ainda mais a fundo as diferenças entre faculdade, centro universitário e universidade!

Comentários

Comentários

Deixe o seu comentário

Recomendado para você