Todo ambiente pode ser melhor aproveitado, sabia? Seja uma sala, seja um quarto, um escritório e até o interior de automóveis… Isso está relacionado com o que faz um designer de interiores: tornar os espaços mais proveitosos do que são.

Se você gosta de Arquitetura ou vive assistindo tutoriais de decoração, este post é perfeito pra você. A seguir, contamos em detalhes o que faz o designer de interiores e mostramos os principais detalhes sobre essa profissão. Confira até o fim pra ter ainda mais certeza dessa carreira!

o-que-faz-um-designer-de-interiores-mesa

O que faz um designer de interiores?

O designer de interiores planeja e projeta os mais diferentes espaços internos residenciais, comerciais e institucionais, distribuindo os elementos pensando na estética, conforto, saúde e segurança dos usuários — e, é claro, na funcionalidade do local. Esses elementos incluem peças de mobília, objetos decorativos e até cores das paredes e revestimento do piso.

Quando se fala sobre o que faz um designer de interiores, é preciso entender que o trabalho é abrangente. Esse profissional não pode apenas colocar as peças dentro de um espaço de modo que elas caibam. Ele precisa pensar nos gostos pessoais de quem frequenta aquele local, além de considerar a harmonia entre os objetos. Deve também otimizar o espaço, especialmente em construções mais modernas, que tendem a ser menores.

Segundo a lei que regulamenta o que faz um designer de interiores, as principais atividades realizadas por esse profissional são:

  • estudo, planejamento e projeto de ambientes internos, seguindo os objetivos e necessidades do cliente ou do usuário e otimizando para gerar conforto, estética, segurança e saúde conforme as normas técnicas do ramo;
  • planejamento de ambientes externos permanentes ou temporários, atendendo as exigências legais e regulamentos de segurança contra incêndio, meio ambiente e saúde;
  • seleção e indicação precisa de cores, revestimentos e acabamentos que serão usados no projeto;
  • criação, desenho e design de mobília e outros objetos decorativos e de ambientação;
  • prestação de consultoria técnica em Design de Interiores.

A Classificação Brasileira de Ocupações (CBO) também indica outras as atividades realizadas pelo designer de interiores com formação de nível superior:

  • análise de proposta de trabalho;
  • conceituação de projeto;
  • elaboração de estudos preliminares, de anteprojetos e de projetos executivos;
  • execução de projetos;
  • acompanhamento da execução da obra;
  • pesquisa de produtos, materiais e equipamentos;
  • promoção do consumo.

Em cada uma dessas atribuições, o profissional executa uma série de ações. Um bom exemplo são as entrevistas com o cliente, a avaliação do orçamento, a definição de formas, texturas e cores, o desenvolvimento de cronograma, a seleção de fornecedores e as outras ações previstas na regulamentação da profissão.

Na maioria das vezes, o designer de interiores não trabalha na parte externa dos ambientes. Porém, ele tem boas noções de paisagismo, então pode empreender nesse tipo de projeto, se assim desejar.

É importante não confundir designer com decorador. Embora a decoração faça parte do cotidiano do designer, ele não se limita a ela.

cta3

Quais são as características desejáveis ao designer de interiores?

O que faz um designer de interiores ser um bom profissional é o olhar atento aos detalhes e à conversa com o cliente. Embora ele saiba quais são as tendências do Design, deve respeitar o estilo de quem está atendendo. Por exemplo: de nada adianta apostar em cores fortes, se a pessoa prefere algo mais clean.

Aliás, um dos grandes desafios do designer é alinhar os seus conhecimentos com as expectativas do cliente. Por isso, é importante que ele desenvolva as seguintes características:

  • olhar analítico para detectar problemas no espaço a ser trabalhado e observar o mundo a sua volta atentamente;
  • criatividade para encontrar soluções que atendem o desejo do cliente sem afetar o orçamento e o trabalho a ser desenvolvido pelo designer e fornecedores;
  • proatividade para manter contato com diferentes formas de artes para encontrar referências, inspirações e desenvolver a criatividade;
  • versatilidade para se adaptar com facilidade às mudanças e desafios que surgem em projetos;
  • relacionamento interpessoal para estar em sintonia com os outros profissionais envolvidos no projeto, pois designer, arquiteto, paisagista e engenheiro civil devem trabalhar juntos para a obtenção de um resultado harmônico.

O que estuda o designer de interiores?

Outro aspecto indispensável para esclarecer o que faz um designer de interiores é saber mais sobre a sua formação acadêmica. De fato, para exercer essa profissão, é preciso preparo com estudos específicos.

Existem três formas principais de conseguir certificação na área: curso bacharelado, tecnólogo ou pós-graduação (especialização).

Os cursos bacharelado são menos comuns no Brasil e têm duração média de quatro anos. A grade curricular inclui matérias típicas da graduação em Arquitetura e Urbanismo.

Além disso, eles têm matérias teóricas também. A grade aborda aspectos culturais e históricos do Design.

O tecnólogo em Design de Interiores é mais comum. Ele é bem focado no que faz um designer de interiores, ou seja, na prática profissional. Tem duração menor, entre dois e três anos.

Nele, o aluno aprende sobre paisagismo, técnicas de iluminação e aplicação de revestimentos. Também há disciplinas sobre ergonomia e outras técnicas, enfocando desenhos arquitetônicos.

Tanto no bacharelado quanto no tecnológo, existem disciplinas voltadas à gestão e ao comércio, que são bem válidas para quem for abrir seu próprio negócio futuramente.

E a terceira forma de estudar Design de Interiores é na pós-graduação, por meio da especialização. É uma alternativa para quem fez cursos como arquitetura e urbanismo ou engenharia civil. O aluno que investiu nessas áreas e se identificou mais com as disciplinas de Design pode focar sua carreira nisso.

Além dessas três propostas, você pode procurar um curso técnico.

O que faz um designer de interiores - mercado

Quais são os motivos para estudar Design de Interiores?

Se você gosta de levar conforto às pessoas e repensar espaços diversos, esse já é um ótimo motivo para estudar Design de Interiores. Mas tem alguns outros, que trazemos na sequência. Acompanhe!

Possibilidade de carreira internacional

O designer de interiores é um profissional bastante respeitado fora do Brasil, como nos Estados Unidos e em diversos países da Europa. Isso acaba abrindo portas para quem deseja construir uma carreira internacional. Um bom primeiro passo, após sua graduação, pode ser se especializar fazendo cursos fora do Brasil.

Diversas áreas de atuação

Se você pensa que quem estuda design de interiores vai ficar restrito a pensar ambientes mais aconchegantes para residências, engana-se bastante, viu? A parte residencial, de fato, é uma possibilidade. Mas você também tem chance de trabalhar no meio corporativo, educacional e até na questão do espaço de automóveis — que buscam levar mais e mais conforto aos compradores. Sem falar na possibilidade de projetar móveis.

Com a questão do trabalho remoto, evidenciado na pandemia, muita gente passou a ficar mais em casa, repensando ambientes ou até se mudando para outras casas para ter mais espaço. Assim, o designer tem uma presença ainda mais necessária.

Estímulo para empreender

Pensando em uma faculdade para se tornar empreendedor? A opção de Design de Interiores se encaixa nessa ideia, sabia? Ao se formar, você pode trabalhar prestando consultoria a diversas firmas de construção civil.

Além disso, pode ajudar pessoas a repensar suas casas ou empresas, seja adaptando algum cômodo ou transformando, por exemplo, uma área em uma sala de espera ainda mais confortável.

Um bom jeito de trabalhar sua marca é criando redes sociais que tragam um pouco do seu trabalho e das suas dicas? Que tal um canal no YouTube ensinando como tornar o quartinho de bagunça em um escritório confortável?

Como é a rotina de trabalho de um designer de interiores?

A rotina de quem se forma em Design de Interiores varia muito do caminho profissional a ser seguido. Por exemplo, se você trabalha em empresas de construção civil, pode ajudar engenheiros e arquitetos desde a construção para que os espaços sejam melhor aproveitados na hora de pensar em mobílias e iluminação.

Quem trabalha com mobília precisa estar sempre atento às tendências nacionais e internacionais, levando em conta sustentabilidade, qualidade e conforto.

Já para quem quer empreender na profissão, além de cuidar dos afazeres, é bacana se dedicar ao marketing e sua imagem pessoal.

Como está o mercado de trabalho da área?

Na prática, o que faz um designer de interiores? O mercado de trabalho para esse profissional está em ascensão. No Brasil, existe uma preocupação cada vez maior com a composição dos ambientes.

Isso se dá tanto por questões estéticas quanto pela necessidade de aproveitar espaços fisicamente limitados. Afinal, o tamanho dos apartamentos vem ficando cada vez menor.

O designer pode atuar como projetista, que é a atribuição mais conhecida. É quem organiza um espaço (residencial ou comercial) atendendo às necessidades do cliente.

Se gostar de desenhar, pode atuar desenhando móveis, trabalhando em lojas de mobília planejada. Também é possível apostar na decoração e paisagismo, tornando-se especialista nesses segmentos.

Mas essas não são as únicas atribuições e áreas de atuação do designer de interiores. Esse profissional pode trabalhar em espaços:

  • residenciais: urbanos e rurais de pessoas e empresas;
  • comerciais: lojas, restaurantes e bares;
  • corporativos: escritórios de empresas de diversos ramos;
  • educativos: cursos, faculdades, universidades, escolas e creches;
  • esportivos: academias e estúdios;
  • de saúde: clínicas médicas, estéticas, veterinárias, odontológicas e hospitais;
  • de residência temporária: pousadas, hotéis, hostels e motéis;
  • de veículos: dentro de carros, barcos, aviões, ônibus e trailers;
  • de eventos: estandes, quiosques, centro de convenções e feiras;
  • de estúdios: cenografia de programas, novelas, comerciais, teatro, fotografia de interiores e filmes.

Além disso, o designer de interiores também pode ser:

  • consultor de mobiliário e de ambientes;
  • professor em cursos livres, técnicos e, com especialização, professor universitário;
  • pesquisador acadêmico de Design;
  • editor de publicações e portais de Design de Interiores;
  • curador de arte e mobiliário;
  • consultor de vendas do ramo;
  • profissional de representação tridimensional / maquete eletrônica.

Design de Interiores a distância: é uma possibilidade?

É possível se tornar um designer de interiores estudando em casa? A resposta é um grande sim!

Há cursos a distância, especialmente tecnólogos, muito interessantes para quem quer ser um designer de interiores e os avanços da internet permitem que as disciplinas sejam ofertadas online. Hoje, boa parte dos projetos são feitos em computador, então, mesmo em disciplinas práticas, o estudante não sai perdendo.

A grade curricular dos cursos a distância contempla os mesmos nichos de matérias e a formação profissional tem a mesma qualidade.

Sobre as disciplinas, existem matérias teóricas e práticas. O conhecimento teórico fornece a base necessária para o aluno realizar as atividades práticas do curso e atender os seus futuros clientes.

Veja algumas das principais matérias da graduação tecnológica em Design de Interiores:

  • História da Arte e do Design: estudo dos conceitos, fundamentos e movimentos dessas áreas ao longo da história da humanidade;
  • Teoria e Fundamentos do Design: estudo sobre o surgimento do Design, sua manifestação, dimensões históricas, elementos, princípios e aplicações;
  • Desenho Técnico e Computação Gráfica: como representar graficamente em 2D e 3D os projetos de Design de Interiores, seguindo as normas técnicas e usando as ferramentas e práticas do ramo;
  • Processo Criativo: estudo da estrutura do processo criativo, de técnicas e ferramentas para resolução de problemas, de mapas mentais, de ferramentas de geração de ideias, de painéis semânticos, entre outros conhecimentos que ajudam compreender a criação estruturá-lo para uso frequente;
  • Metodologia de Projetos em Design: estudo do mapeamento do processo de projeto, de problemas e soluções de projetos, do pensamento ao projetar e de estratégias e táticas para atender as necessidades do cliente;
  • Projetos Residenciais e de Mobiliários: como projetar mobiliário e espaços sociais, privados, íntimos, de trabalho ou doméstico em ambientes residenciais fazendo briefing, diagnóstico local, estudos preliminares, layouts, plantas, vistas ou cortes detalhados, orçamentos e planilhas de execução e coordenação de obra.

O grande diferencial da educação a distância é que você pode estudar em casa, administrando seu tempo e tendo muita flexibilidade. Ótima opção para quem já está no mercado de trabalho e tem poucas horas por dia livres.

Nos cursos EAD, os estudantes precisam ir até o polo de apoio presencial algumas vezes para fazer avaliações. Mas isso já é determinado no calendário com bastante antecedência, para que eles possam se programar.

Uma vantagem de estudar a distância é estar com a internet à disposição o tempo todo. Você pode consultar sites, artigos publicados e outros materiais que estão na rede. Assim, vai complementando o seu conhecimento e aprimorando a sua formação.

Quais são os designers de interiores referência no Brasil e no mundo?

Agora que você já está bem informado sobre o que faz um designer de interiores, conheça alguns profissionais que são referência no Brasil e no mundo:

Marcelo Rosenbaum

Arquiteto e designer bastante conhecido pelas transformações e reformas que realiza em cômodos e casas contemplados em quadros de programas de TV brasileiros. Marcelo se inspira na brasilidade para desenvolver o seu trabalho.

Márcia Muller

Márcia é uma arquiteta que desenvolve projetos de design de interiores em casas, edifícios residenciais e comerciais. Suas criações já foram exibidas na Casacor e em programas televisivos.

Isay Weinfeld

Arquiteto e designer brasileiro reconhecido internacionalmente pelos seus projetos residenciais e corporativos, o trabalho de Isay é marcado pelo minimalismo e elegância.

Paulinho Peres

Paulinho é um designer de interiores brasileiro com mais de 15 anos de experiência na área. Conhecido por seus projetos em mansões e empreendimentos comerciais de alto padrão.

Candice Olson

Canadense muito conhecida pelos seus programas na TV fechada, em que mostra o que faz um designer de interiores. Candice desenvolve projetos para sala de estar e jantar, quartos, banheiros, cozinhas e espaços externos há mais de 25 anos.

Hilary Farr

Hilary é uma designer de interiores canadense é bastante conhecida por ser capaz de antever tendências do setor, compreender bem as personalidades da sua clientela e atender aos seus pedidos com criações distintas, além de ajudar a renovar casas em um famoso programa da TV fechada.

Philippe Starck

Philippe é um designer francês conhecido por sua irreverência, criações de mobílias, objetos para iluminação, banheiros, escritórios, cozinha e interiores para hotéis, restaurantes, bares, clubes, museus, lojas e centros culturais.

Quem estuda Design de Interiores pode ingressar em uma profissão com diversas vertentes, como você viu. Também tem boas chances de crescer e empreender. Por isso, ao chegar aqui, você tem muitos detalhes sobre a carreira e já pode dar o próximo passo, certo?

Interessou-se pela área? Também gostou da opção de estudar a distância? Então, fale com a gente da EAD UniCesumar e dê passos grandes em relação ao seu futuro profissional!

cta4

Comentários

Comentários