Um bom exercício para quem já é designer ou pretende fazer uma faculdade de Design é analisar como as logomarcas mudam de tempos em tempos. Apple, McDonald’s, Burger King e Starbucks são ótimos exemplos dessa evolução.

São mudanças que acontecem devido às tendências do design no período, que podem incluir fontes serifadas, cores mais sóbrias, formas mais suaves, entre outros pontos. Outras marcas mudam menos, como é o caso da Nike — com seu formato clássico, o logotipo manteve-se bastante parecido com o passar dos anos.

Já o da Apple, quanta diferença! A primeira logomarca era uma representação de Isaac Newton embaixo de uma macieira. Tempos depois, ficamos com a clássica maçã mordida, simples de reconhecer e muito impactante.

E você, já parou para refletir sobre as tendências do design para 2021? Estar por dentro das novidades pode facilitar sua vida e trazer ótimos insights para os trabalhos da faculdade. A seguir, trazemos as mais comentadas, para você ficar de olho e se especializar no assunto. Vamos nessa?

1. Logotipos adaptativos

Hoje, existem tantos gadgets e peças online em que as marcas podem colocar seus símbolos que a necessidade de adaptar os logotipos se torna uma das principais tendências do design, sabia?

Você pode ter um logotipo principal, com a marca escrita em extenso, mas vale a pena pensar em adaptações mais enxutas dele, que vão se encaixar melhor em determinados infoprodutos. 

Um exemplo é usar apenas uma parte pequena do logo em um post do Instagram, de modo a facilitar a identificação da marca e, aos poucos, reforçar o branding e a presença digital de uma determinada empresa.

Uma dica para quem trabalha com identidade visual é pensar em várias opções de logos que vão se encaixando nos mais diferentes produtos.

2. Cores pastel

Você não precisa ter nascido nos anos 80 pra saber que essa foi a década dos excessos. Uma das tendências do design dessa fase eram as cores flúor, superchamativas. Nesse período, muitas roupas e estampas pareciam ter sido pintadas com canetas grifa-texto, como verde e amarelo-limão e rosa-choque.

Agora, o mundo se rendeu aos tons pastel, mais suaves, que lembram aqueles de roupas de bebê. Eles estão em tudo: na moda, nos esmaltes, nas canetas e, também, na decoração.

3. Ícones flat

Se você gosta do universo do design, deve saber que a user experience, ou experiência do usuário, é um dos pontos mais relevantes pra se ter em mente. Afinal, quem está usando um aplicativo ou navegando por um e-commerce precisa ter bem claro quais são os ícones a serem clicados — ou vai desistir de fazê-lo.

Nesse sentido, os ícones flat são outra tendência do design que você tem que conhecer muito bem. Um ícone flat tem uma abordagem mais minimalista: suas formas são bem definidas, com bordas nítidas; podem ter cores mais intensas (em geral, poucas cores ou apenas uma); também costuma ter poucos detalhes, para não causar confusão no público na hora do clique.

Alguns exemplos de ícones flat são a lupa indicando a barra de pesquisa em um site e os corações pra pessoa curtir uma postagem no Instagram. 

Existem diversas coleções em muitos sites de imagem e vetor que facilitam a vida do designer.

4. Fontes incomuns

Por muito tempo, as tendências do design quanto à tipografia oscilaram entre as fontes com e sem serifa — bons exemplos são a Times New Roman e a Helvética, respectivamente. Além disso, muito se falou no minimalismo das fontes: quanto mais claras de se identificar, melhor.

Essa clareza ainda pode ser útil para determinadas peças, mas o universo da tipografia se expandiu, viu? Você não precisa mais ficar preso no “quanto mais claro, melhor”, pois fontes artísticas e cheias de detalhes também se tornaram bem-vindas. Quanto mais única, mais interessante.

O bacana é sempre brincar com as fontes, usando opções mais detalhadas e outras mais simples — assim, as suas peças não ficam poluídas.

5. Gradientes

Em oposição aos ícones flat, existe a opção de usar gradientes em peças — outra das tendências do design que se mostra bem forte. 

O gradiente é uma variação de tons, sejam cores pastel, mais fortes ou, mesmo, misturadas, que dão uma cara única ao design. Um exemplo clássico é o ícone do Instagram, que usa gradiente de roxo e rosa.

6. Sobreposição de elementos

Mais um jeito de criar peças únicas é apostar na sobreposição de elementos, criando uma sensação de profundidade ou dando a impressão de que você fez uma verdadeira colagem, com elementos de scrapbook. Você consegue brincar com elementos cujos traços são diferentes para ganhar riqueza visual.

7. Formas geométricas

Use formas geométricas variadas em suas criações. Por exemplo, um post de Instagram pode ficar mais interessante quando você brinca com essas formas em segundo plano e adiciona cores flat ou gradientes.

E dá para ir além: aplicar um fundo com estampas geométricas também pode ser uma ideia pra dar um upgrade em trabalhos variados.

8. Ilustrações

Até pouco tempo atrás, os designers trabalhavam bastante com bancos de imagem, usando pessoas anônimas para dar cara à marca. Entretanto, mais uma das tendências em que você deve investir é o uso de ilustrações, em vez de fotos de pessoas reais. Essa é uma forma bacana de deixar as marcas que você trabalha ainda mais únicas.

As ilustrações garantem um tom lúdico e ainda podem facilitar a sensação de diversidade, considerando que os bancos de imagem são internacionais e nem sempre oferecem material suficiente para conseguirmos construir uma representatividade maior da população brasileira, por exemplo.

Uma das características profissionais que podem destacar você de outras pessoas é a quantidade de repertório e referências, que fazem toda a diferença na hora de criar produtos com design único. Como dica, sugerimos que estude a evolução das marcas e visite sites como Pinterest e Behance, além de criar sozinho algumas peças, para entender como você pode evoluir. 

Por sorte, você já deu o primeiro passo ao ler sobre as principais tendências do design para este ano! Ser designer é ser artista. Por isso, é superinteressante trabalhar a sua criatividade e garantir uma ótima formação.

E aí, essas tendências do design fizeram você refletir um pouco? Ótimo! Aproveite e assine a nossa newsletter para receber vários conteúdos como este, com ótimos insights pra quem ama se atualizar!

Comentários

Comentários