Já reparou em quantas mudanças acontecem no mercado de trabalho? E o motivo é simples: a tecnologia avança e as necessidades de consumo da sociedade se transformam. Com isso, o que há poucos meses era uma grande tendência, agora pode não fazer tanto sentido assim. Acontece com a moda, comportamentos e também com profissões.

Muitas carreiras deixam de existir porque o produto com que trabalhavam foi descontinuado. Outras, pela substituição de funções, transformando-se em novos papéis. A automatização de tarefas é uma das grandes responsáveis por isso: reserva as atividades repetitivas e insalubres para as máquinas e permite que as pessoas se ocupem da tomada de decisões.

Neste conteúdo, você vai conhecer algumas das profissões antigas que sumiram com o tempo e entender como ter boas oportunidades no mercado por meio da qualificação. Acompanhe!

As 6 profissões antigas que não existem mais

Algumas das profissões antigas parecem pertencer a enredos de filme, mas foram bastante importantes para a organização da sociedade em épocas passadas. Conheça um pouco das características profissionais de cada uma delas e o que contribuiu para o desaparecimento de cada carreira.

1. Lanterninha

Os cinemas contavam com um funcionário para guiar as pessoas até seus lugares, com ajuda de uma lanterna para iluminar o caminho –– daí o nome da profissão. O lanterninha também era o responsável por fiscalizar as sessões, pedindo silêncio a quem fazia muito barulho ou algazarra dentro das salas. Era o terror dos jovens que iam em grandes grupos assistir aos lançamentos!

2. Telefonista

O que você faz quando precisa ligar para algum lugar desconhecido? Vai ao Google e pesquisa ou pergunta o número a alguém da família, certo? Com o telefone em mãos, é só teclar os dígitos e aguardar o outro lado da linha responder. Simples assim. Mas essa não era a realidade dos seus antepassados.

Antes, você não conseguia nem discar para outros números. Era preciso contar com o intermédio de uma telefonista, que fazia a conexão entre as duas partes. A profissão, que existiu até os anos 1980, era ocupada, em sua maioria, por mulheres, consideradas mais simpáticas para esse tipo de atendimento.

3. Leiteiro

Caixinhas de leite industrializada nem sempre foram a realidade das pessoas. A produção era feita em famílias, e o produto era distribuído nas cidades. Era comum que as pessoas deixassem vasilhames nas portas de suas casas para facilitar o trabalho dos leiteiros, que passavam logo cedo para reabastecer o estoque da comunidade.

4. Acendedor de poste

Quer uma profissão tão antiga quanto a de leiteiro? A de acendedor de postes com certeza entra na lista. Já pensou ter que ir de iluminador a iluminador para oferecer luz às ruas? Tudo bem que não eram numerosos, como os postes de energia elétrica que conhecemos hoje. A fonte vinha de fogo, querosene e lampiões.

5. Atores de rádio

Antes das telenovelas que conhecemos hoje, existiam as histórias transmitidas pelas rádios. Esses programas foram os precursores dos atuais podcasts, contratando atores com boas vozes e capacidade de interpretação avançada. Para eles, foi fácil conseguir um emprego na TV: muitos ajustaram questões de visual para os padrões da época e migraram de plataforma.

6. Mensageiro

Essa é uma profissão bem antiga, que existe desde as primeiras civilizações organizadas. Os mensageiros se destacaram principalmente em períodos de guerra, em que a comunicação dependia deles. Ao longo dos anos, eles ganharam novas atribuições, com a chegada de algumas inovações da época.

O telegrama, por exemplo, exigia uma entrega rápida, que era feita por bicicleta ou moto. Anos à frente, vieram os profissionais que comandavam os carros de mensagem –– que promoviam momentos memoráveis ou até embaraçosos às pessoas. Estes últimos ainda até existem e ganharam novo fôlego durante o isolamento social dos últimos anos, mas as redes sociais contribuíram com seu desaparecimento gradativo.

Ainda podemos listar algumas profissões que ainda existem, mas tendem a desaparecer com o tempo. É o caso do cobrador de ônibus. O transporte público já consegue funcionar a partir de máquinas, em que o passageiro passa o cartão para se locomover. Em alguns casos, o motorista assume a função para possibilitar a compra de créditos.

O leitor de medidores é outro profissional que terá funções adaptadas. Em vez de ir de casa em casa para conferir o consumo de energia, água, entre outros, tudo isso será feito remotamente. O mesmo pode acontecer com operadores de caixa, já que as pessoas conseguem passar as próprias compras em leitores de preços.

A importância de se capacitar para boas profissões

Contar com profissões antigas ou que estão próximas ao fim é uma conduta arriscada. Uma das características em comum entre algumas delas, como você pode ter percebido, é que esses profissionais não precisavam de um diploma para desempenhar tais funções. Basicamente, para trabalhar com elas, bastava serem aprovados nos processos seletivos das empresas contratantes ou ter indicação de conhecidos.

Quando você se forma no ensino superior e desenvolve um autoconhecimento profissional, tem maior tranquilidade de que sua profissão não vai desaparecer por completo. No máximo, vai se adaptar às transformações digitais e demandar um pouco mais de estudos para mandar bem e se destacar no mercado. Por isso, a escolha da carreira deve levar em consideração esse quesito.

Logicamente, você não pode se deixar estagnar na zona de conforto. Por mais que a sua profissão continue em alta, novos profissionais surgirão a todo momento no mercado. Se os mais preparados conseguem as melhores vagas, você corre o risco de ficar para trás se não acompanhar as tendências de sua área. Então, atualize as suas competências, investindo nas habilidades do futuro.

Por fim, tenha em mente que nenhuma dessas profissões antigas que citamos é ruim ou não digna. Elas ofereceram boas experiências aos profissionais, a possibilidade de se manter financeiramente e atender à sociedade da maneira que podia, à época. Da mesma forma, não existem carreiras melhores que outras, apenas aquela que combina mais com seu perfil e suas expectativas.

Agora que você conhece algumas das profissões antigas e o motivo pelo qual elas não existem mais, fica o recado: a capacitação profissional deve ser a sua prioridade. É dessa forma que você se torna indispensável no mercado, é valorizado pelas empresas e colegas, consegue remunerações atrativas e pode inspirar pessoas em sua trajetória.

Gostou das informações deste conteúdo? Saiba que temos muitas curiosidades e dicas sobre mercado, carreira e estudos. Para não perder as novidades do blog, assine agora a newsletter!

Comentários

Comentários