como juntar dinheiro

7 dicas práticas para juntar dinheiro e conseguir ter um respiro financeiro no fim do mês

Lidar com contas nem sempre é uma missão tão simples. Se você se descuidar um pouco, os boletos não param de chegar, à medida que cresce o desespero para controlar as finanças. Com tantas tentações no dia a dia, o nível de dificuldade fica ainda maior. Afinal, como juntar dinheiro e não ficar no aperto ao fim do mês?

Essa prática ajuda não só a realizar seus sonhos, mas também a levar uma vida mais tranquila financeiramente. Ninguém merece a preocupação de não conseguir pagar as contas, não é? Ter uma reserva é importante para se virar no meio de um imprevisto e ficar longe das dívidas.

Se esses estão entre seus receios, continue a leitura. Listamos as principais dicas para ajudar você a juntar dinheiro e não ter problemas com isso. Confira!

1. Conheça os ganhos e os gastos

Sabe aquela história de que precisamos saber de onde vem e para onde vai nosso dinheiro? A ideia é essa. Quando você conhece os seus rendimentos, pode prever o que pode ser gasto durante o mês para que as contas não entrem no vermelho. Quanto às despesas, existem duas possibilidades:

  • fixas: são aqueles das quais não dá para fugir, como energia elétrica, água, internet, mensalidade da faculdade e assim por diante;
  • supérfluas: como o próprio nome indica, é tudo que você gasta além do necessário, desde um pão na chapa da padaria a uma peça de roupa comprada por impulso.

Você pode pensar que consegue controlar tudo isso na cabeça sem se perder, mas pense o seguinte: com a correria do dia a dia, já temos detalhes demais com o que nos preocuparmos, não acha? A melhor estratégia é a visualização dessas informações. Por isso, adote o hábito de anotar esses dados em uma planilha digital ou física mesmo. Assim, dá até para entender em que ponto é possível cortar gastos –– o que nos leva ao próximo tópico.

2. Reduza as contas

Já pensou que mesmo as contas fixas podem ser reduzidas? Por mais que tenha que pagar a energia todos os meses, consegue baixar alguns reais com mudanças bem simples: apagar a luz sempre que sair de um cômodo, não deixar aparelhos carregando além do necessário, usar menos o chuveiro elétrico e por aí vai.

Mas chega um ponto em que não há mais o que cortar nas contas fixas. Esse é o momento de ficar de olho nas supérfluas. Antes de comprar, pense se realmente precisa do produto ou serviço naquele momento. Se for pedir comida pelo aplicativo, por exemplo, por que não optar por comer em casa? A sua planilha será a base do seu planejamento financeiro.

3. Compre com consciência

O consumo consciente é bem menos debatido em sociedade do que deveria. Com tantas propagandas elaboradas e estratégias de marketing, temos a impressão de que a compra é sempre essencial –– quando, na verdade, pode nem fazer diferença na sua rotina. Para entender na prática, pense em quantas peças de roupa existem no seu guarda-roupa. Você usa todas elas ou algumas estão paradas há meses? E os sapatos?

O segredo de como juntar dinheiro é adotar a consciência nos momentos de compra. Considere se realmente existe uma necessidade ou somente um desejo de aquisição. Se estiver precisando mesmo, dá para esperar até que consiga o valor total? Existe alguma forma alternativa, como os brechós para as roupas?

4. Tenha uma renda extra

O que você ganha é suficiente somente para pagar as contas e não consegue guardar nem algumas moedas? Considere, então, obter uma renda extra. Alguns bicos são bem simples de se conseguir, principalmente se você tem um networking eficiente. Um exemplo é o trabalho freelancer. Profissionais de diversas áreas podem fazê-lo, como os da comunicação, do marketing, da tecnologia, etc.

As vendas em casa são outra boa oportunidade e que precisam mais de boas estratégias de logística do que investimento em si. Dá até para fazer doces e anunciar nas redes sociais para seus amigos da mesma cidade, combinando algum local de entrega. Se preferir, consegue atuar com um programa de afiliados e divulgar produtos de marcas, tendo uma comissão como retorno.

Mas não é só isso. Veja outras formas de conquistar aquela renda extra e despertar seu lado empreendedor:

  • alugue algum objeto, como câmera fotográfica, videogames, bicicleta ou qualquer coisa que for possível em sites parceiros;
  • dê monitorias para colegas de turma na faculdade ou mesmo para alunos do ensino fundamental, ou médio. Se tiver domínio de alguma área, pode atuar como professor online;
  • cuide de um pet, fazendo passeios diários ou recebendo-o em sua casa enquanto o dono viaja;
  • anuncie sua garagem para aluguel;
  • responda questionários remunerados;
  • seja guia turístico, mesmo que pela internet, por meio de videoconferências;
  • invista nos seus dons artísticos, fazendo artesanato para vender.

5. Defina objetivos

Dá para guardar dinheiro para as mais diversas finalidades: conquistar a independência financeira, comprar um imóvel, fazer um intercâmbio ou mesmo aqueles simples, de trocar o colchão do quarto. Para que não sejam somente sonhos da sua cabeça, torne-os objetivos. O que isso significa? Basicamente, listar prioridades e dar prazos a elas.

Vamos supor que seu objetivo seja trocar o computador para melhorar o rendimento nos estudos e trabalhar com ele de casa. O valor não é baixo, mas também não chega aos preços de um imóvel. Por isso, coloque uma etiqueta de médio prazo e pense em quanto tempo deseja torná-lo realidade. 6 meses? 1 ano? Lembre-se de que precisa ser atingível e realista, para evitar frustrações.

Mesmo que tenha prioridades, um de seus “fundos de reserva” deve se destinar aos imprevistos. Afinal, ninguém sabe quanto um chuveiro vai queimar ou um cano estourar em casa, certo? Quando você tem esse dinheiro de emergência, dificilmente passa aperto e não tem que deixar contas em aberto para cobrir esses gastos. Além disso, eles colaboram com a motivação para as economias.

6. Procure opções mais em conta

Se você parar para pensar, existem diversas oportunidades de economizar só esperando que alguém as note. Um bom exemplo acontece no trabalho: se você almoça fora de casa, acaba gastando muito mais do que se fizesse uma marmita para levar. Da mesma forma, uma corrida com motorista de aplicativo pode sair mais cara do que o trajeto de transporte público.

Pode parecer pouco, mas essas pequenas ações somados geram uma grande economia, que dá para investir em algo mais proveitoso –– como a capacitação profissional. Note que nem sempre é preciso abandonar alguns hábitos; a chave está em saber equilibrar. Isso quer dizer que, em algum dia do fim de semana, é possível pedir comida pelo delivery, desde que não se torne uma prática recorrente.

7. Tente comprar à vista

Já falamos das compras conscientes e isso tem tudo a ver com esta dica. O cartão de crédito parece ser um grande amigo, mas é preciso ter muito cuidado com as parcelas. Confiar só naqueles números pequenos e não considerar o valor total com possíveis juros é uma grande cilada. Por isso, pagar à vista surge como melhor opção.

Mas se seu cartão tem algum programa de pontos e descontos, uma estratégia interessante é passar a compra nele –– à vista, claro. Só não vale gastar o dinheiro do pagamento com outras coisas e esquecer esse valor, combinado? Anote na planilha!

Agora que você já sabe como juntar dinheiro e, mais importante, que essa prática é possível, chegou o momento de montar suas estratégias. Pense em seus objetivos, tome notas de tudo, faça diferentes reservas e não desanime. Não deixe de considerar alguns investimentos que farão a diferença na sua carreira, como os estudos. Com um diploma em mãos e uma disciplina financeira, mudar de vida é para lá de possível!

Quer ficar por dentro das dicas aqui do blog? Então, assine a newsletter e receba as novidades diretamente em seu e-mail!


Comentários

Comentários

avatar
Entre 4% das melhores Instituições de Ensino Superior do Brasil.
Post criado:501

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar