Entender os fatores que contribuem com uma boa colocação profissional é muito importante para quem está iniciando a carreira ou mudando de profissão. E a boa notícia é que a empregabilidade no Brasil está começando a se recuperar após um período de grandes desafios devido à pandemia de Covid-19.

Mesmo com o impacto do cenário econômico, é importante saber que a empregabilidade depende de muitos fatores, como oferta e demanda de determinadas funções e as características de cada profissional. Quer entender melhor? Então, continue a leitura!

O que é empregabilidade?

O conceito de empregabilidade tem a ver com a facilidade de se conseguir um posto de trabalho. Então, ele se relaciona com o cenário econômico e com as profissões que têm mais demanda no mercado, além de englobar tudo aquilo que torna o perfil profissional atraente para as empresas.

Por exemplo, as profissões da área da tecnologia têm uma ótima empregabilidade atualmente devido à grande demanda de profissionais na área. Porém, para ter mais oportunidade de garantir uma boa colocação (mesmo quando há muitas vagas em aberto), é preciso ter características para que seu perfil seja desejado para essas vagas.

Quais os países com maior empregabilidade?

Em relação à disponibilidade de vagas, alguns países se destacam por terem uma maior empregabilidade. Ou seja, o mercado de trabalho nesses locais tem mais oportunidades para novos talentos e uma menor taxa de desemprego.

De acordo com o portal Country Economy, que se alimenta de diversas fontes de dados atualizadas, os países com menor taxa de desemprego atualmente são:

  • Chéquia (antiga República Tcheca), com 2,4%;
  • Japão, com 2,6%;
  • Polônia, com 2,7%;
  • Alemanha, com 2,8%;
  • Hungria, Malta e Noruega, com 3,0%;
  • México, com 3,3%;
  • Austrália, com 3,4%;
  • Estados Unidos e Islândia, com 3,5%.

Também têm baixa taxa de desemprego os Países Baixos, o Reino Unido, a Eslovénia, a Irlanda, a Áustria e a Suíça.

O que influencia a empregabilidade?

Como dissemos, mesmo que uma determinada profissão tenha bons índices de empregabilidade em geral (o que significa que há muitas oportunidades e forte demanda no mercado), ainda assim, é o perfil de cada profissional que será decisivo na conquista de uma boa vaga.

Isso porque o mercado é cada vez mais exigente e os melhores postos de trabalho são ocupados por profissionais qualificados. Veja só alguns dos fatores que influenciam nisso:

  • capacitação profissional: ter uma graduação é praticamente um pré-requisito para conquistar uma boa colocação no mercado, já a pós-graduação contribui para ocupar os postos com melhores salários;
  • habilidades digitais: hoje em dia, ter familiaridade com os recursos tecnológicos também é fundamental, ainda mais com o crescimento expressivo do trabalho híbrido ou remoto;
  • interesse em aprender: como dito, o mercado é cada vez mais exigente. Por isso, o aperfeiçoamento contínuo faz toda a diferença na empregabilidade, já que o profissional mais bem capacitado sempre será o escolhido;
  • habilidades comportamentais: as chamadas soft skills são tão importantes quanto as competências técnicas. Ter flexibilidade, facilidade com relações interpessoais e inteligência emocional são características que colocam um candidato à frente dos demais;
  • visão estratégica: quem consegue planejar os passos profissionais de forma estratégica pode aproveitar melhor as oportunidades e se preparar para evitar riscos na carreira.

Como é a empregabilidade no Brasil hoje?

Em razão dos impactos econômicos causados pela pandemia de Covid-19, a empregabilidade no Brasil sofreu quedas. De acordo com dados divulgados pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), o número de pessoas ocupadas no país caiu de 94 milhões para menos de 83 milhões entre dezembro de 2019 e junho de 2020.

No entanto, a boa notícia é que já há sinais de recuperação: em comparação com o segundo semestre de 2021, os primeiros meses de 2022 tiveram um aumento de 9,5% no número de pessoas ocupadas. Dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Novo Caged) também confirmam essa melhora.

No documento Estatísticas Mensais do Emprego Formal de Junho de 2022, houve um saldo positivo de mais de 1,4 milhão de postos de trabalho formais no ano — isso porque, apesar de terem ocorrido 10,3 milhões de desligamentos, o número de admissões no mesmo período foi de 11,6 milhões. 

Quais as regiões brasileiras com mais empregabilidade?

Ainda de acordo com o relatório do Novo Caged, todas as regiões brasileiras tiveram saldo positivo na relação entre desligamentos e admissões no mês de referência. Em número de postos de trabalho formais, a relação é:

  • sudeste: com aumento de 137,2 mil vagas;
  • nordeste: com aumento de 52 mil vagas;
  • centro-Oeste: com aumento de 34,3 mil vagas;
  • sul: com aumento de 31,8 mil vagas;
  • norte: com aumento de 21,8 mil vagas.

Como se destacar profissionalmente?

Apesar de os números indicarem uma leve recuperação da empregabilidade no Brasil após a pandemia, o cenário ainda é de bastante competitividade. Por isso, vale a pena investir em fatores que podem destacar o seu perfil profissionalmente.

Nessa hora, leve em conta aqueles pontos citados que influenciam na empregabilidade. Anote aí:

  • invista em capacitação: o primeiro passo é conquistar o seu diploma de graduação. Hoje em dia, o acesso e a permanência na faculdade são bastante facilitados;
  • planeje a sua carreira: ter um plano de carreira com metas de médio e longo prazo é importante para o crescimento estratégico dentro da sua profissão;
  • mantenha sua formação atualizada: como o mercado é cada vez mais dinâmico, um profissional pode rapidamente perder a sua competitividade, caso não busque o aperfeiçoamento constante;
  • desenvolva soft skills: atividades extracurriculares, como cursos livres, mentorias e trabalho voluntário, contribuem fortemente com o desenvolvimento de habilidades valorizadas no mercado;
  • faça networking: desde a graduação, marcar presença no seu meio de atuação pode ser decisivo para a construção de relações profissionais. Manter um bom perfil profissional nas redes sociais e participar de eventos da área são ótimos caminhos.

Qual a importância da faculdade EAD?

A educação a distância (EAD) é uma tendência definitiva. Cada vez mais as pessoas estão optando por essa modalidade de ensino, não só por vantagens como a maior flexibilidade na rotina e o melhor custo-benefício, como pelo desenvolvimento de habilidades digitais.

Afinal, como você viu, esse é um dos fatores que influenciam na empregabilidade. Além de se familiarizar com os recursos tecnológicos desde a graduação, a EAD contribui para que o aluno também desenvolva outras competências importantes no mercado, como a gestão de tempo, a autonomia e a proatividade.

Sem contar que a EAD torna a formação superior mais acessível para muitas pessoas. Quem já está inserido no mercado, por exemplo, pode ter dificuldade de conciliar os estudos presenciais com o trabalho. Assim, a graduação a distância facilita a conquista de um diploma de ensino superior — que, como você viu, é um pré-requisito para destacar o seu perfil.

Agora que você já sabe como está a empregabilidade no Brasil, viu que apesar do cenário desafiador, as tendências são otimistas, não é? Sobretudo para quem investe em capacitação, desenvolvimento de habilidades comportamentais e planejamento de carreira.

As informações foram úteis? Em qual desses fatores você tem investido para destacar seu perfil? Deixe um comentário!

Comentários

Comentários