Já reparou no quanto as roupas mudam com o passar dos anos? Algumas peças que estão na moda hoje podem ser deixadas de lado no mês seguinte, enquanto outras tão usadas em décadas anteriores voltam às ruas e passarelas. Apesar de ser cheio de padrões, inspirações e referências, esse universo está diretamente relacionado com a personalidade.

Isso não vem de agora. Desde a antiguidade, roupa e personalidade andam juntas. Pense nos egípcios: eles usavam muito o branco para mostrar riqueza e poder. As túnicas simples foram ganhando adereços, novos tecidos, cores e assim por diante. O que ninguém imaginava era que chegaríamos ao leque de opções que temos hoje.

Uma coisa é certa: a forma como alguém se veste tem muito a dizer sobre quem é. Vamos falar de imagem, roupa e personalidade? Continue a leitura para entender mais do assunto!

Como a imagem é composta?

Já reparou que a maioria das pessoas costumam trocar de roupa para receber amigos em casa? Até para ir à padaria ou ao supermercado isso acontece. O pensamento que vem à mente se relaciona ao receio do que os outros vão achar ao vê-las com peças amassadas demais, surradas ou desbotadas. Isso tudo tem a ver com a imagem.

Ela é composta pelos três elementos que listamos a seguir.

1. Aparência

Dizem que a primeira impressão é a que fica –– e isso está diretamente relacionado com a aparência, muito além das roupas que você usa. Envolve também a forma de pentear (ou não) o cabelo, maquiagens, tatuagens e assim por diante. É basicamente como você se comunica sem dizer uma palavra sequer.

Pense no ambiente de trabalho. Um profissional de finanças corporativas não se apresenta da mesma maneira que o de Marketing ou Publicidade, certo? Isso porque o tipo de cargo pede uma aparência bem formal no primeiro e tende a ser mais livre no segundo, a depender da empresa.

2. Comunicação

Aqui, vale tanto a comunicação verbal quanto a não verbal. Tudo que você diz se junta a outros fatores para formar a sua imagem. Uma pessoa que reclama muito, por exemplo, pode ser interpretada negativamente, podendo até perder oportunidades de trabalho. Mas não é só isso, pois até o tom e a altura da sua voz têm influência.

Sabia que você também se comunica com o corpo? Braços cruzados, estalar de dedos, pernas balançando: tudo isso passa uma imagem, mesmo que momentânea. Em alguns casos, pode demonstrar que está impaciente, entediado, ansioso –– e não só os recrutadores ficam de olho nisso, viu?

3. Comportamento

Por fim, o último pilar que compõe a imagem é o jeito como você se comporta. Uma pessoa que tem a formação acadêmica completa, por exemplo, tende a mostrar uma postura mais confiante e proativa em relação às funções de uma carreira. É diferente de um estagiário, que ainda está aprendendo e, com isso, às vezes fica só na observação, aguardando instruções antes de agir.

O comportamento também engloba muitas das habilidades apreciadas tanto em vivências pessoais quanto no mercado de trabalho. Como exemplo, podemos citar a cordialidade, o respeito a opiniões diferentes, tolerância e compreensão.

Como comunicar minha personalidade a outras pessoas?

Vamos retomar o exemplo do profissional que precisa de um visual formal para se adequar ao ambiente. Ainda que algumas peças sejam essenciais, ele pode transmitir sua personalidade com a escolha das roupas. Mesmo dentro de um estilo, existem maneiras diferentes de se expressar.

Há inspirações e referências possíveis de serem seguidas, mas a liberdade é de cada pessoa para fazer suas escolhas. Veja, a seguir, o que você pode observar para se vestir com a sua personalidade.

Cores

A psicologia das cores estuda o jeito como cada tom mexe com nossas emoções e é recebido pelo nosso cérebro. Tanto é que, nas consultorias de imagem, o profissional define a paleta que mais combina com a personalidade da pessoa. Então, dá para transmitir diferentes mensagens a partir da peça escolhida.

É interessante saber quais dessas cores, tons e subtons que fazem parte da sua cartela para escolher não só as roupas, mas também acessórios, combinações e textura. Assim, não corre o risco de parecer cansado quando não está.

Acessórios

Essas peças servem para complementar o vestuário e seu uso ou falta dele dizem muito sobre a personalidade. Há pessoas totalmente discretas, que preferem nem recorrer aos acessórios ou escolher os mais neutros. Mas também existem aquelas que gostam de abusar nesse recurso –– e, como vimos, isso depende do que você quer transmitir na sua imagem.

Combinações

Esse recurso, muitas vezes, é visto com ousadia. Se você quer mostrar esse tipo de imagem, vale tomar cuidado com o ambiente em que estará para não desviar a atenção do que importa.

Texturas

A textura também serve para expressar sua personalidade, com a escolha de diferentes tecidos para se vestir. É possível escolher aqueles com os quais se sente mais confortável –– por mais glamouroso que pareça, usar paetê não vai passar a imagem que você deseja se estiver visivelmente incomodado.

Qual é a importância das roupas na construção da imagem pessoal e profissional?

Até aqui, vimos que pensar nas roupas ideais não é uma boa estratégia somente para os profissionais do Design de Moda, certo? Sendo uma questão de imagem, será a sua principal vitrine para as pessoas, sejam elas contatos profissionais ou amigos, conhecidos e familiares.

A imagem pessoal deve representar o que você espera que as pessoas notem. Para qualquer cargo, mas principalmente no de liderança, o ideal é passar confiança, credibilidade, segurança e coerência. Mesmo fora do trabalho, vale transmitir essas qualidades para melhorar relacionamentos interpessoais.

As peças que você escolhe ajudam até a conseguir um emprego, sabia? Vamos supor que está se candidatando a uma vaga em uma startup bem descolada, que já anuncia de antemão que não existe um dress code para colaboradores. Provavelmente, vai se sentir totalmente deslocado se comparecer ao processo seletivo em roupas formais, não acha?

Então, já na entrevista de emprego, é preciso dosar o que funciona para o ambiente corporativo em que se encontra e, claro, para a sua personalidade. Afinal, como vimos, é bem possível mesclar estilos e favorecer ambas as necessidades.

Deu para refletir melhor sobre roupa e personalidade? Com esses conhecimentos, agora fica mais fácil entender porque é tão importante escolher a vestimenta ideal para cada ocasião. Para além de uma questão de moda, essa é uma forma de se expressar tanto no quesito pessoal quanto profissional.

Se você gostou deste post, que tal compartilhá-lo com seus amigos nas redes sociais? Veja o que eles acham sobre o assunto!

Comentários

Comentários